Loading...

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Verbos (tipos e flexões de pessoa e número)

Verbo

Veja os exemplos:

As crianças brincam no quarto.

Ele estuda espanhol.

Nós marcamos o nosso exame.

As palavras em destaque nas frases acima são verbos. Verbo é a palavra que indica ação, estado ou fenômeno da natureza situados no tempo – alguma coisa que acontece ou é, que aconteceu ou foi, que acontecerá ou será.

Flexões do verbo

a) Pessoa

O verbo apresenta três pessoas do discurso:

» Primeira pessoa: a que fala, o emissor. (eu e nós)

Eu estudo espanhol.

Nós estudamos espanhol.

» Segunda pessoa: com quem se fala ou a quem se destina a mensagem, o receptor. (tu e vós)

Tu estudas espanhol.

Vós estudais espanhol.

» Terceira pessoa: de quem ou do que se fala. (ele, ela, eles, elas).

Ele estuda espanhol.

Elas estudam espanhol.

O espanhol é uma língua muito falada em todo o mundo.

b) Número

O verbo flexiona-se em número, podendo estar no singular ou no plural, concordando com o sujeito da oração:

A menina canta demais.

As meninas cantam demais.

c) Modo

O modo indica a circunstancia em que o fato pode acontecer.

Veja, por exemplo, as diferentes atitudes em:

Eu amo

Eu amei

São três os modos verbais:

Modo indicativo: exprime um fato certo, o fato é ou foi uma realidade.

Comprei um carro.

Modo subjuntivo: exprime um fato incerto, duvidoso.

Talvez eu compre um carro.

Modo imperativo: exprime uma ordem ou um pedido.

Compre um carro.

Os verbos apresentam ainda as formas nominais: infinitivo (pessoal e impessoal), gerúndio e particípio.

d) Tempo

A flexão de tempo indica o momento em que o fato expresso pelo verbo ocorreu, ocorre ou ocorrerá. Desta forma, caracterizamos os três tempos verbais básicos: o presente, o pretérito (passado), e o futuro, como nos seguintes exemplos:

Penso em ti.

Pensei em ti.

Pensarei em ti.

Tempos do modo indicativo

O presente indica a ocorrência do fato no momento em que se fala:

Penso em ti.

O pretérito indica a ocorrência do fato antes do momento em que se fala, ou seja, passado.

Pensei em ti.

O pretérito pode ser perfeito, imperfeito e mais-que-perfeito.

» pretérito perfeito: expressa um fato já concluído totalmente no passado.

Perdi minhas chaves ontem.

» pretérito imperfeito: expressa um fato passado, porém ainda não concluído.

Fazíamos boas comidas em casa.

» pretérito mais-que-perfeito: expressa um fato anterior a outro fato que também é passado.

A bola já ultrapassara a linha quando o jogador a alcançou.

O tempo do modo indicativo futuro indica o ocorrência futura de um fato (que ainda não aconteceu no momento em que se fala).

Amanhã irei ao cinema.

O modo futuro pode ser: futuro do presente e futuro do pretérito.

» futuro do presente: expressa um fato que deve realizar-se num tempo próximo em relação ao momento presente.

Ele comprará um carro.

» futuro do pretérito: indica o fato que ainda irá acontecer, relacionado com um fato passado.

Compraria um carro, se tivesse dinheiro.

Tempos do modo subjuntivo

O presente indica uma ocorrência que talvez se realize.

Deus te abençoe.

O pretérito imperfeito indica uma hipótese, uma condição.

Se eu estudasse, a história seria outra.

O tempo do modo subjuntivo futuro expressa um fato que vai acontecer relacionado a outro fato futuro.

Quando eu voltar, saberei o que fazer.

e) Voz

As vozes verbais indicam a relação entre o sujeito e a ação expressa pelo verbo. Podemos ter três situações:

» voz ativa: o sujeito pratica a ação expressa pelo verbo.

A menina comprou um sorvete.

» voz passiva: o sujeito recebe a ação expressa pelo verbo.

A menina ganhou um sorvete.

A voz passiva pode ser praticada de duas formas:

Voz passiva analítica: forma-se com os verbos ser, estar e ficar seguidos de particípio.

O homem é corrompido pela sociedade.

Voz passiva sintética: forma-se com verbo acompanhado do pronome se (chamado apassivador).

Doa-se roupas.

» voz reflexiva: o sujeito pratica e recebe a ação expressa pelo verbo, ao mesmo tempo.

Nós nos ofendemos muito.

Formas nominais do verbo

São três as formas nominais do verbo: infinitivo, gerúndio e particípio.

Infinitivo: desempenha função semelhante à do substantivo. Caracteriza-se pela terminação r.

Viver é lutar.

Particípio: desempenha função semelhante à do adjetivo. Caracteriza-se pelas terminações –ado(a) e –ido(a).

Mulher vivida.

Gerúndio: desempenha função semelhante à do adjetivo e do advérbio. Caracteriza-se pela terminação –ndo.

Água fervendo.

Locução verbal

Locução verbal é a combinação de verbos auxiliares (ter, haver, e estar) com verbos nas formas nominais.

Tenho escrito muitas cartas.

Substantivo (tipos e flexões de gênero número e grau)

Substantivo

Substantivo é a palavra que dá nome aos seres, indicando pessoas, lugares, sentimentos, estados, qualidades, ações. Os substantivos classificam-se em:

» Comum - é aquele que indica um nome comum a todos os seres da mesma espécie: terra, futebol, criança.

» Próprio – designa nome de pessoas, cidades, países, etc.: Maria, Brasil, Belo Horizonte, Terra.

» Simples – formado por uma só palavra: barriga, couve, pé, roupa.

» Composto – formado por duas ou mais palavras: guarda-noturno, guarda-roupa, pé-de-moleque.

» Primitivo – a partir dele se formam outros substantivos: mar, pedra, terra, barba.

» Derivado – é aquele que se forma a partir de outro substantivo: maresia, pedreiro, terreiro, barbeiro.

» Concreto – é aquele que indica seres reais ou imaginários, cuja existência é próprio, independente de outros: mar, Deus, saci, mulher, casa, caneta.

» Abstrato – é aqueles que indica seres de natureza dependente, ou seja, sua existência está ligada a nossa consciência apenas: amor, verdade, ódio, saudade, sensatez, mentira.

» Coletivo – indica um conjunto de seres da mesma espécie, embora estando no singular: cardume (conjunto de peixes), enxame (conjunto de abelhas), quadrilha (conjunto de bandidos).

Relação de alguns substantivos coletivos

Assembléia – de pessoas reunidas, de parlamentares

Acervo – de obras de arte

Alcatéia – de lobos

Antologia – de textos

Arquipélago – de ilhas

Atlas – de mapas

Arsenal – de armas, munições

Banda – de músicos

Bando – de aves

Batalhão – de soldados

Biblioteca – de livros

Cacho – de frutas

Chusma – de pessoas em geral

Colméia – de abelhas

Constelação – de estrelas

Cordilheira – de montanhas

Elenco – de atores

Enxoval – de roupas

Falange – de soldados

Fauna – de animais

Feixe – de lenha

Flora – de plantas

Frota – de navios

Galeria – de quadros

Horda – de bandidos

Júri – de jurados

Junta – de médicos, examinadores

Legião – de soldados

Lote – de coisas

Manada – de animais

Molho - de chaves

Multidão – de pessoas

Ninhada – de filhotes

Pinacoteca – de quadros

Piquete – de pessoas em greve

Plantel – de animais de raça

Pomar – de arvores frutíferas

Ramalhete – de flores

Réstia – de alho, de cebola

Vara – de porcos

Vocabulário – de palavras

Flexão do substantivo

Os substantivos podem ser flexionados em gênero, número e grau.

Gênero do substantivo

Os substantivos apresentam dois gêneros: masculino e feminino.

Masculino: os nomes que são antecedidos pelo artigo o: o menino, o sol, o mar, o trem.

Feminino: os nomes que são antecedidos pelo artigo a: a carta, a menina, a caneta, a lua.

Flexão do gênero do substantivo

Substantivos biformes: são aqueles que apresentam duas formas para a indicação de gênero

» Substantivos terminados em –o mudam para –a.

Menino – menina

Gato – gata

» Substantivos terminados em –ão mudam para –ã, -oa, -ona.

Irmão – irmã

Leão – leoa

Chorão – chorona

» Substantivos terminados em –or formam o feminino com o acréscimo de –a.

Doutor – doutora

Professor – professora

Corretor – corretora

» Pela troca da terminação -e por -a.

Parente – parenta

Presidente – presidenta

Mestre – mestra

» Pelo acréscimo de -a aos substantivos terminados em –ês, -l, e –z.

Freguês – freguesa

Oficial – oficiala

Juiz – juíza

» Por meio de –esa, -essa e –isa aos substantivos indicadores de ocupações especiais e de títulos.

Cônsul – consulesa

Visconde – viscondessa

Poeta – poetisa

» Formação de feminino com palavras diferentes.

Bode – cabra

Boi – vaca

Burro – besta

Cão – cadela

Carneiro – ovelha

Cavaleiro – amazona

Frade – freira

Veado – cerva

Zangão – abelha

» Por formações irregulares.

Ateu – atéia

Ator – atriz

Avô – avó

Embaixador – embaixatriz

Judeu – judia

Maestro – maestrina

Marajá – marani

Réu – ré

Sultão – sultana

Substantivos uniformes: são aqueles que possuem uma só palavra para indicar o masculino e o feminino. Classificam-se em:

» epicenos: são os nomes de animais e de plantas em que se distingue o gênero mediante o emprego das palavras macho e fêmea.

Cobra macho

Crocodilo fêmea

Mamoeiro macho

» comum de dois gêneros: são substantivos que possuem uma só forma para o masculino e para o feminino diferenciados pelos artigos o (masculino) e a (feminino)

o cliente – a cliente

o doente – a doente

o estudante – a estudante

» sobrecomuns: são substantivos de um só gênero, que indicam homem e mulher, identificando apenas pelo contexto.

O cônjuge

A criança

O cadáver

A testemunha

» Substantivos podem ter significados diferentes dependendo do gênero:

A cabeça – parte do corpo

O cabeça – o chefe

A caixa – objeto

O caixa – pessoa

A rádio – estação

O rádio – o aparelho

» Alguns substantivos possuem mais de um feminino:

Aldeão – aldeã, aldeoa

Elefante – elefanta, aliá

Ladrão – ladra, ladrona, ladroa

Particularidades

Os nomes de rios, mares, montes, pontos cardeais, letras do alfabeto e meses são masculinos.

Número do substantivo

O substantivo apresenta dois números:

Singular – que indica apenas um ser: copo, flor, caneta.

Plural – que indica mais de um ser: copos, flores, canetas.

Plural dos substantivos simples

» Substantivos terminados em vogal ou ditongo oral acrescenta-se o s:

Gato – gatos

Série – séries

» Substantivos terminados em m troca-se por ns:

Item – itens

Álbum – álbuns

» Substantivos terminados por –ão troca-se por –ões, -ães, -ãos:

Aldeão – aldeões

Alemão – alemães

Irmão – irmãos

» Substantivos terminados por –r ou –z acrescenta-se –es:

Colher – colheres

Paz – pases

» Substantivos terminados por –s (oxítonas ou monossílabos tônicos) acrescenta-se –es:

Ás – ases

Freguês – fregueses

» Substantivos terminados por –s (paroxítonos) ficam invariáveis:

O lápis – os lápis

O vírus – os vírus

» Substantivos terminados por –x ficam invariáveis:

O clímax – os clímax

O tórax – os tórax

» Substantivos terminados por –al, -el, -ol, e ul troca-se por –is:

Varal – varais

Túnel – túneis

Anzol – anzóis

Azul – azuis

» Substantivos terminados por –il (oxítonas) troca-se por -is:

Barril – barris

Cantil – cantis

» Substantivos terminados por –il (paroxítonas) troca-se por –eis:

Fóssil – fósseis

Projétil – projéteis

Plurais dos substantivos compostos

» Substantivo composto não separado por hífen acrescenta-se o s:

Pontapé – pontapés

Passatempo – passatempos

» Só o primeiro elemento vai para o plural:

- nos substantivos compostos ligados por preposição, clara ou subentendida. (pés-de-moleque; mulas-sem-cabeça)

- nos substantivos compostos por dois substantivos, em que o segundo transmite a idéia de finalidade ou semelhança. (mangas-rosas; pombos-correio)

» Só o ultimo elemento vai para o plural:

- nos substantivos com os prefixos grão, grã, e bel. (grão-duques; grã-cruzes; bel-prazeres)

- nos substantivos compostos formados por verbos ou palavras invariáveis, seguidas de substantivo ou adjetivo. (ex-diretores; beija-flores;)

- nos substantivos ligados por três ou mais elementos não ligados por preposição. (bem-me-queres)

- nos substantivos compostos cujos elementos aparecem dobrados. (tico-ticos; reco-recos)

» Os dois elementos vão para o plural:

- nos substantivos formados por substantivo+substantivo. (cartas-bilhetes)

- nos substantivos formados por substantivo+adjetivos. (amores-perfeitos)

- nos substantivos formados por adjetivo+substantivo. (gentis-homens)

» Ficam invariáveis os substantivos:

- compostos por frases substantivas. (os bumba-meu-boi)

- compostos por verbos+palavra invariável. (os ganha-pouco)

- compostos por verbos de sentido oposto. (os vai-e-volta)

Flexões de grau do substantivo

O grau do substantivo são dois: aumentativo e diminutivo

Grau aumentativo

Quando se emprega um adjetivo que indique aumento chamamos de grau aumentativo analítico: casa grande, nariz imenso.

O grau aumentativo sintético acontece quando o substantivo recebe sufixos que indiquem aumento: cabeça – cabeção

Grau diminutivo

O grau diminutivo analítico acontece quando se emprega um adjetivo que indique diminuição: casa pequena, nariz pequeno.

O grau diminutivo sintético acontece quando o substantivo recebe sufixos que indiquem diminuição: casinha, narisinho.

terça-feira, 25 de maio de 2010

CHILE

O Chile é um país localizado na costa oeste da América do Sul que limita fronteira a leste, com a Argentina; a nordeste, com a Bolívia; e ao extremo norte, com o Peru. O território em questão se encontra exprimido entre a cordilheira dos Andes e o oceano Pacífico. A extensão territorial no sentido norte-sul do país é de 4,3 mil km, em contrapartida, de leste-oeste possui somente 200 km. Ao longo de toda extensão do país é possível identificar uma imensa variedade de climas e também de cobertura vegetal.

Quanto aos aspectos humanos, segundo estimativas do ano de 2009, o Chile detém uma população de aproximadamente 16,9 milhões de habitantes, distribuídos em uma área de 756.945 km2. Etnicamente, o povo chileno tem sua origem a partir da mistura entre ameríndios e espanhóis, representando 95% da população do país.

Com aproximadamente 6 milhões de habitantes, a capital Santiago abriga cerca de boa parte da população nacional. O Chile, apesar de estar longe de atingir uma condição semelhante às dos países centrais em qualidade de vida, devido a desigualdades sociais, apresenta um dos melhores indicadores sociais de toda América Latina.

Assim como a população, a atividade agrícola chilena se concentra na parte central do país, cuja característica climática é mediterrânea. Isso possibilita o cultivo de culturas comuns a lugares de clima mediterrâneo, como: uvas e azeitonas, as quais servem como matéria-prima para a produção de vinho e azeite.

O subsolo chileno é rico em recursos minerais, especialmente em cobre, tendo em vista que cerca de 38% das jazidas mundiais se encontram no país. Esse fato resulta na posição de primeiro lugar em produção desse minério em escala mundial.

No setor industrial, o Chile concentra o seu pólo nas proximidades de sua capital, e principal centro do país, Santiago. A produção industrial está ligada, em geral, a produção primária, como: indústria de alimentos, têxtil e beneficiamento de minérios.

Outra fonte de receita que reforça a economia chilena é o setor turístico, que figura como uma das mais promissoras atividades econômicas do país. O Chile oferece boas opções de turismo, dentre elas, as que mais se destacam são: o balneário de Viña del Mar, além da região dos Lagos Andinos.
Por Eduardo de Freitas
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

HONDURAS

Honduras, ou República das Honduras, é um país localizado na América Central. O mesmo limita-se com o Mar das Caraíbas ao norte, com a Nicarágua ao sul, e com El Salvador e o Golfo de Fonseca a oeste. O país ocupa uma área de 112, 088 km2, onde vivem cerca de 7,4 milhões de habitantes, o idioma oficial é o espanhol.

Aspectos naturais de Honduras

Relevo: as irregularidades da superfície do território são classificadas basicamente por quatro unidades de relevo: planície e encostas das montanhas orientais; ao norte, planícies aluviais e serras litorâneas, terras elevadas no centro do país e as planícies do Pacífico e baixas encostas das montanhas. Dentre os países da América Central, Honduras possui o território mais montanhoso. As altitudes ao longo do território oscilam entre 600 e 2.700 metros.

Vegetação: a composição vegetativa típica do país é de característica tropical, incluindo ainda florestas de pinheiros e carvalhos. Em áreas restritas do território ocorrem também manchas de savanas.

Hidrografia: o principal rio de Honduras é o Coco ou Segovia, sua extensão é de 275 km, existem ainda importantes rios como o Patuca, Aguán, Ulúa, Sico, Choluteca; são identificadas lagoas e lagos, como a Lagoa de Caratasca e o Lago Yojoa.

Economia: Honduras possui os piores índices de desenvolvimento econômico entre todos os países da América Latina. Grande parte da receita do país advém da atividade agrícola, isso faz com que cerca de 4,8 milhões de pessoas atuem nesse setor da economia. Os principais produtos agrícolas destinados à exportação são: café, banana e camarão.
Por Eduardo de Freitas
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

SUIÇA

A Suíça (em alemão: Die Schweiz; em suíço-alemão: Schwyz ou Schwiiz; em francês: Suisse; em italiano: Svizzera; em romanche: Svizra), oficialmente Confederação Suíça (alemão: Schweizerische Eidgenossenschaft; latim: Confoederatio Helvetica; francês: Confédération suisse; italiano: Confederazione Svizzera; romanche: Confederaziun svizra), é uma república federal composta por 26 estados chamados de cantões, com Berna como a sede das autoridades federais. O país está situado na Europa Central, onde faz fronteira com a Alemanha a norte, a França a oeste, a Itália a sul e com a Áustria e Liechtenstein a leste.
A Suíça é um país sem costa marítima cujo território é dividido geograficamente entre o Jura, o planalto suíço e os Alpes, somando uma área de 41.285 km². A população suíça é de aproximadamente 7,8 milhões de habitantes e concentra-se principalmente no planalto, onde estão localizadas as maiores cidades do país. Entre elas estão as duas cidades globais e centros econômicos de Zurique e Genebra. A Suíça é um dos países mais ricos do mundo relativamente ao PIB per capita calculado em 43.196 de dólares americanos.[5] Zurique e Genebra foram classificadas como as cidades com melhor qualidade de vida no mundo, estando em segundo e terceiro lugar respectivamente.[7]
A Confederação Suíça tem uma longa história de neutralidade, não estando em estado de guerra internacionalmente desde 1815. O país é sede de muitas organizações internacionais como o Fórum Econômico Mundial, a Cruz Vermelha, a Organização Mundial do Comércio e o segundo maior Escritório das Nações Unidas. A nível europeu, foi um dos fundadores da Associação Europeia de Comércio Livre e é parte integrante do Acordo de Schengen.
A Suíça é constituída por quatro principais regiões linguísticas e culturais: Alemão, Francês, Italiano e Romanche. Os suíços, por conseguinte, não formam uma nação no sentido de uma identidade comum étnica ou linguística. O forte sentimento de pertencer ao país é fundado sobre o histórico comum, valores compartilhados (federalismo, democracia direta e neutralidade)[8] e pelo simbolismo Alpino.[9] A criação da Confederação Suíça é tradicionalmente datada em 1 de Agosto de 1291.

ESPANHA

A Espanha ou Reino de Espanha é um país europeu localizado na Península Ibérica. Seu território limita-se com Portugal, a oeste; com o Mar Mediterrâneo, a leste e ao sul; e com a França e o oceano Atlântico, ao norte. Geograficamente, o território espanhol se encontra parte no hemisfério norte e parte no hemisfério ocidental.

O país tem como capital a cidade de Madrid. O território do país abrange uma área de 504 782 km², onde está dispersa uma população de aproximadamente 44,9 milhões de habitantes.

A Espanha é regida por um sistema de governo de monarquia, o poder político é dividido em três: poder executivo, poder judicial e poder legislativo.

Mais de 50% da topografia do país é constituída por planaltos, onde a altitude possui em média 600 metros acima do nível do mar. O clima do país se apresenta de forma variada, sendo identificado do tipo continental (no centro do país), mediterrâneo (no litoral leste e sul) e oceânico (litoral norte). Na hidrografia, os principais rios são: Tejo, Ebro, Douro, Guadiana, Guadalquivir e Minho.

A Espanha está em quinto lugar entre as principais economias da Europa, apresentando um PIB que supera 1,4 trilhão de dólares. Sua economia tem como base a exportação de veículos, além de calçados, construção naval, indústria siderúrgica, química e têxtil. Na agricultura os destaques são para a produção de uvas e laranjas. Os espanhóis são grandes produtores de vinhos e de azeites.
A pesca também é uma atividade econômica difundida, o país possui a maior frota pesqueira do mundo. O turismo tem sido responsável por grande parte da receita do país.

A constituição espanhola garante a liberdade de culto, sendo assim, as principais religiões praticadas são: catolicismo (predominante), ateismo, agnosticismo, islamismo, protestantismo, mormonismo e Testemunhas de Jeová.

Informaçõe gerais

Nome: Reino da Espanha.

Bandeira:

Brasão:

Língua oficial: espanhol, e cooficial: basco, catalão, valenciano e galego.

Entrada na União Europeia: 1° de janeiro de 1986.

Renda per capita: 33.700 dólares.

IDH (Índice de Desenvolvimento Humano): 0,955 – elevado.

Esperança de vida: 80,7 anos.

Mortalidade infantil: 4,31/mil nasc.

Moeda: euro.

Por Eduardo de Freitas
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

PORTUGAL

Portugal, ou República Portuguesa, é um país europeu situado na Península Ibérica. Limita-se a leste e ao norte com a Espanha e ao sul e oeste com o oceano Atlântico. Seu território abrange uma área de 92.389 km², na qual vivem cerca de 10,7 milhões de habitantes.

O clima que predomina em Portugal é o mediterrâneo, é um dos mais quentes países da Europa. A vegetação é constituída basicamente por pinheiros, árvore castanheiro, sobreiro, azinheira, carvalho e eucalipto. Quanto à fauna, os principais animais são raposas, texugo, lince ibérico, lobo ibérico, cabra selvagem, gato selvagem, lebre, doninha, urso pardo, entre outros. São identificadas mais de 100 espécies de peixes de água doce.

Tradicionalmente, Portugal sempre teve uma forte ligação com a atividade agrícola, no entanto, atualmente sua economia se baseia nos setores de serviços e na indústria. Na agricultura o país se destaca na produção de oliveira, uva, trigo e milho, além das frutas como laranjas algarvias, pera-rocha, cereja, banana da madeira. O parque industrial português atua na transformação de produtos agrícolas e tecnologia, entre os quais se destacam as indústrias: têxteis, calçado, mobiliário, mármores, cerâmica, além de refinarias de petróleo, petroquímica, cimento, fabricação de automóveis e navios, entre muitas outras.

Originalmente os portugueses são compostos por celtas, iberos, celtiberos e lusitanos. Do total de habitantes (10 milhões), cerca de 5% são imigrantes de diversas origens, como brasileiros, ucranianos, além de outros oriundos de Cabo Verde, Moldávia, Romênia, Guiné-Bissau, Angola, Timor-Leste, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Rússia.

Informações gerais

Nome: República Portuguesa.

Gentílico: português e portuguesa.

Brasão:

Bandeira:

Capital: Lisboa.

Língua oficial: português.

Governo: Democracia Parlamentar.

Ingresso na União Europeia: 1° de janeiro de 1986.

População: cerca de 10,7 milhões.

IDH (Índice de Desenvolvimento Humano): 0, 909-elevado.

Esperança de vida: 77,9 anos.

Mortalidade infantil: 4,92/mil nasc.

Alfabetização: 94,6%.

Moeda: euro.

Site oficial: www.portugal.gov.pt

Por Eduardo de Freitas
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

COSTA DO MARFIM

Localizada na porção oeste do continente africano, a Costa do Marfim faz limites com Mali e Burkina Faso a norte; Gana a leste; Libéria e Guiné a oeste, e é banhado pelo Oceano Atlântico ao sul.

O nome da Costa do Marfim foi dado pelos portugueses, sendo uma referência ao grande número de elefantes que existia na região na época colonial.

O país obteve sua independência no dia 7 de agosto de 1960. A Costa do Marfim é uma das nações mais prósperas do oeste africano, isso se deve ao desenvolvimento agrícola, principalmente a produção de café e cacau (o país é o maior produtor de cacau do mundo). Também se destaca a indústria alimentícia, têxtil, a exploração de petróleo e gás natural, além da extração de diamantes.

Atualmente, convivem no território marfinense mais de 60 grupos étnicos, esse fato contribui bastante para a diversidade cultural do país, no entanto, gera conflitos entre os diferentes grupos étnicos.


Brasão da Costa do Marfim

Dados da Costa do Marfim:

Extensão territorial: 322.463 km².

Localização: África.

Capital: Abidjan.

Clima: Subequatiral de floresta ao sul, tropical úmido a noroeste, tropical seco a nordeste.

Governo: República presidencialista.

Presidente: Laurent Gbagbo.

Divisão administrativa: 19 regiões subdivididas em departamentos.

Idioma: Francês.

Religião: Crenças tradicionais 37,6%, cristianismo 31,8% (católicos 14,8%, independentes 9,3%, outros 7,7%), islamismo 30,1%, sem religião 0,2%, outras 0,3%.

População: 21.075.010 habitantes. (Homens: 10.733.376; Mulheres: 10.341.634).

Composição Étnica: Bauleses 23%, betes 18%, senufos 15%, mandingas 11%, outros 33%.

Densidade demográfica: 58 hab/km².

Taxa média anual de crescimento populacional: 1,73%.

População residente em área urbana: 49,49%.

População residente em área rural: 50,51%.

População subnutrida: 14%.

Esperança de vida ao nascer: 47,7 anos.

Domicílios com acesso a água potável: 81%.

Domicílios com acesso a rede sanitária: 24%.

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,484.

Moeda: Franco CFA.

Produto Interno Bruto (PIB): 20.650 milhões de US$.

PIB per capita: 1.072 de US$.

Relações exteriores: Banco Mundial, FMI, OMC, ONU, UA.

Por Wagner de Cerqueira e Francisco
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

CORÉIA DO NORTE

A Coreia do Norte é um país socialista localizado no extremo oriente do continente asiático, é banhado pelo Oceano Pacífico. Geograficamente, o país está situado no hemisfério norte oriental; limita-se ao norte com a China e a Rússia; ao sul, com a Coreia do Sul; a oeste, com a Baía da Coreia; e a leste, com o Mar do Japão. Assim como Cuba, a Coreia do Norte é um dos remanescentes países de regime socialista no mundo, em razão dessa escolha enfrenta diversos problemas socioeconômicos. Tal fato começou a partir de 1991, quando a União Soviética entrou em declínio.

A Coreia do Norte é socialista em virtude de interferências externas que ocorreram no passado.
Depois que o Japão desocupou a Coreia, a mesma foi dividida em dois países distintos: a Coreia do Norte, controlada pelos soviéticos (socialistas) e a Coreia do Sul, controlada pelos americanos (capitalistas).

A topografia do país varia entre colinas e montanhas, ao norte e a leste, além de planícies, a oeste. O ponto mais elevado do país fica a 2 744 metros de altitude, chamado de Paektu-san. Quanto à hidrografia, os rios que mais se destacam são o Tumen e o Yalu.

O clima que predomina é o temperado continental, que apresenta um verão com grande incidência de chuva e invernos rigorosos.

O país possui uma economia planificada, bem aos moldes soviéticos. Desse modo, mantém uma restrita relação comercial com outros países. O país recebe ajuda alimentar da ONU (Organização das Nações Unidas) e sua economia está vinculada à produção industrial de base, além de produtos agropecuários.

A composição étnica e linguística norte-coreana não apresenta uma grande diversidade.

Informações diversas do país:

Nome: República Democrática Popular da Coreia.

Bandeira:

Brasão:

Capital: Pyongyang.

Gentílico: norte-coreano.

Idioma oficial: coreano.

Governo: República socialista.

Independência: do Japão, em 15 de agosto de 1945.

Área territorial: 120 538 km².

Número de habitantes: aproximadamente 23,9 milhões.

Moeda: Won norte-coreano.

Curiosidades da Coreia do Norte:

O país possui um regime muito fechado, seus habitantes não podem usar telefone celular e os turistas não podem tirar fotos de monumentos, por exemplo.

Por Eduardo de Freitas
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

ESLOVÁQUIA

Eslováquia é um país localizado no leste do continente europeu, limita-se com a República Tcheca (a oeste), Polônia (ao norte), Ucrânia (a leste), Hungria (ao sul), Áustria (oeste).

O país integrava a Tchecoslováquia, e com a fragmentação pacífica do território entre tchecos e eslavos foram criados, em janeiro de 1993, dois estados autônomos: a Eslováquia e a República Tcheca. Os montes Cárpatos ocupam a maior parte do território eslovaco, formando uma barreira natural entre as planícies da Polônia (ao norte) e as da Hungria (ao sul).

As terras férteis do vale do rio Danúbio são utilizadas para o cultivo de cereais, trigo, batata, beterraba, girassóis e frutas. O setor industrial tem se fortalecido por meio de investimentos estrangeiros e um intenso processo de privatização, proporcionando o desenvolvimento industrial e econômico no país. Os principais segmentos da indústria são: eletrônica, engenharia química, automotiva, engenharia mecânica e tecnologia da informação. No entanto, a taxa de desemprego continua alta, em 2008, 10% da força de trabalho nacional estava desempregada.


Brasão de Armas da Eslováquia

Dados da Eslováquia:

Extensão territorial: 49.035 km².

Localização: Europa.

Capital: Bratislava.

Clima: Temperado continental.

Governo: República parlamentarista.

Divisão administrativa: 8 regiões.

Idioma: Eslovaco (oficial), húngaro, tcheco, línguas regionais.

Religião: Cristianismo, 84,8% (católicos, 72,2%, protestantes, 9,3%, outros, 3,3%), sem religião, 11,5%, ateísmo, 3,7%.

População: 5.405.743 habitantes. (Homens: 2.622.335; Mulheres: 2.783.408).

Composição Étnica: Eslovacos, 86%, húngaros 11%, ciganos, 2%, outros, 1%.

Densidade demográfica: 110 hab/km².

Taxa média anual de crescimento populacional: 0,1%.

População residente em área urbana: 56,62%.

População residente em área rural: 43,38%.

População subnutrida: menor que 5%.

Esperança de vida ao nascer: 74,4 anos.

Domicílios com acesso a água potável: 100%.

Domicílios com acesso a rede sanitária: 100%.

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,880.

Moeda: Euro (substituiu a coroa eslovaca em 2009).

Produto Interno Bruto (PIB): 95 bilhões de US$.

PIB per capita: 13.702 de US$.

Relações exteriores: Banco Mundial, FMI, OCDE, OMC, ONU, OTAN, UE.

Por Wagner de Cerqueira e Francisco
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

NOVA ZELÂNDIA

A Nova Zelândia é um país que se encontra a sudeste do continente da Oceania. O país abrange uma área de 270.986 km2, a qual abriga uma população de aproximadamente 4,2 milhões de habitantes. O gentílico desse país é neozelandês. A população possui um IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) elevado, 0,950. As principais religiões praticadas no país são o catolicismo e o protestantismo.

Cerca de 90% da população desse país tem origem européia, sobretudo britânica. A maioria da população se concentra na ilha do Norte, onde se encontra os principais centros urbanos, a capital Wellington ( cerca de 350 mil) e Auckland (aproximadamente 1,2 milhão).

Por apresentar um bom desenvolvimento industrial e agrário, que proporciona uma economia estável, o país consegue oferecer uma boa qualidade de vida a sua população. Etnicamente, os habitantes são formados a partir de 78% de descendentes europeus, 13% de maoris e 5% de polinésios das ilhas do Pacifico. Mas também existe um percentual de 1,3% de chineses e 1% de indianos.
Por Eduardo de Freitas
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

PARAGUAI

A ação colonizadora das missões jesuíticas, que permitiu a sobrevivência de grande proporção de índios guaranis, e o longo isolamento político do Paraguai depois da independência, conferiram ao país um caráter étnico peculiar, que o diferencia nitidamente de outras nações latino-americanas.
O Paraguai é um país interior, isto é, sem acesso direto ao mar. De forma irregular, alongada na direção noroeste-sudeste, ocupa uma superfície de 406.752km2. Limita-se ao norte e a noroeste com a Bolívia; a leste e nordeste com o Brasil; e ao sul, sudeste e oeste com a Argentina.

Geografia física

Relevo
O território paraguaio, em sua totalidade, pertence à grande bacia formada pelos rios Paraguai e Paraná. É constituído de planícies, e apenas na região leste aparecem formações montanhosas, de pouca elevação, estruturalmente ligadas ao planalto brasileiro.
O rio Paraguai, que corre no sentido norte-sul, divide o país em duas partes bastante distintas. A oeste estende-se o Chaco, uma monótona planície que se eleva imperceptivelmente das margens do rio até o altiplano boliviano. A enorme planície, que ocupa também partes do território da Argentina e da Bolívia, compreende quase dois terços do território paraguaio. A leste do rio Paraguai, o terreno eleva-se suavemente e forma uma região de colinas que, nos pontos mais altos das montanhas de Amambay e Mbaracayú, atingem 700m sobre o nível do mar. No sudeste, o terreno volta a descer em direção ao vale do rio Paraná, que em alguns pontos corre pelo planalto de mesmo nome, o que facilitou a construção de represas e usinas hidrelétricas.

Clima
O Paraguai é atravessado pelo trópico de Capricórnio. As temperaturas médias, durante o verão, oscilam entre 25o e 40o C, e no inverno entre 10o e 20o C. As chuvas são abundantes no verão, devido ao deslocamento das massas de ar úmido provenientes do Atlântico, e alcançam até 2.000mm anuais nas zonas altas da parte oriental do país. Nas margens do rio Paraguai, a média é de 1.200mm anuais; no Chaco, no extremo noroeste, de 500 mm.

Hidrografia
Três grandes rios convergem para o sul do país: o Pilcomayo, o Paraná e o Paraguai. Este último nasce no Brasil, atravessa extensas planícies de aluvião e divide o país em duas partes, oriental e ocidental. Em frente a Assunção, recebe o Pilcomayo, que, procedente da Bolívia, corre de noroeste a sudeste através do Grande Chaco. Embora caudaloso, o Pilcomayo é de regime muito irregular e, na estação seca, o fluxo de suas águas chega a interromper-se em algumas zonas pantanosas.
Também o rio Paraguai registra oscilações de caudal, mas é navegável em todo seu trecho paraguaio. Seus afluentes da margem ocidental, provindos do Chaco, só correm na estação chuvosa. Embora mais curtos, os da margem oriental, como o Apa, o Aquidabán, o Ypané, o Jejuí e o Tebicuary são de regime mais regular.
O Paraná, procedente do Brasil, é navegável em quase todo seu percurso no país e suas águas, represadas em vários pontos, alimentam a usina hidrelétrica de Itaipu. Em sua margem paraguaia, recebe o Monday e o Acaray.

Flora e fauna
Graças às temperaturas altas e à abundância de chuvas, a vegetação natural é frondosa nas colinas e planaltos da parte oriental do país. Há também amplas áreas cobertas de matas na parte do Chaco mais próxima ao rio Paraguai, mas em direção a oeste a paisagem torna-se mais seca e a grande planície cobre-se de cactos e outras plantas capazes de resistir à longa estação seca. No curso do rio Paraguai, extensas planícies baixas se inundam por vários meses a cada ano, o que impede o crescimento de árvores altas e dá origem a uma vegetação de ervas altas.
A fauna paraguaia, idêntica à do Centro-Oeste brasileiro, inclui a onça, muito freqüente no Chaco, o queixada, o cervo, tatu e tamanduá. Há também muitas espécies de pássaros e aves tropicais, como emas, seriemas, garças, tucanos e papagaios.

População
Em sua quase totalidade, a população paraguaia descende da mestiçagem entre índios guaranis e os conquistadores espanhóis. É por isso uma das mais homogêneas da América Latina, do ponto de vista étnico. A imigração sempre foi escassa e, excetuadas pequenas colônias de agricultores japoneses e de membros de seitas protestantes procedentes da Europa central e do Canadá, foi plenamente assimilada. A população indígena pura é representada por pequenos grupos humanos dispersos pela região do Chaco. Do meio milhão de habitantes que se calcula tivesse o país em meados do século XIX, a população se reduziu a menos de 200.000 na década de 1870, em conseqüência das guerras.
O crescimento nos cem anos seguintes, contudo, foi muito alto, decuplicando-se o número de habitantes apesar das perdas ocasionadas por nova guerra na década de 1930 e pelo êxodo representado pela fixação de centenas de milhares de paraguaios no Brasil e na Argentina. Um alto índice de natalidade, combinado com uma taxa de mortalidade decrescente, manteve elevado o crescimento demográfico no final do século XX.
Mais de 95% dos paraguaios residem no oeste do país, enquanto o imenso Chaco permanece praticamente despovoado. A capital, Assunção, é a única cidade que cresceu bastante, demográfica e comercialmente, no final do século XX. Outros núcleos são Lambaré, Fernando de la Mora, Villarrica e os portos fluviais de Concepción, no rio Paraguai, e Encarnación, no rio Paraná.
De crescimento recente, Pedro Juan Caballero, junto à fronteira com o Brasil, é o centro de uma zona de colonização agrícola, enquanto Ciudad del Este (antes Puerto Presidente Stroessner) deve seu desenvolvimento ao impulso econômico decorrente da construção da usina hidrelétrica de Itaipu e a sua posição como centro de comunicações fluviais e terrestres.

Economia
Agricultura, pecuária, pesca e extrativismo florestal. A metade da população ativa do Paraguai dedica-se ao setor primário, embora só uma pequena porção das terras aráveis seja cultivada. Os produtos mais importantes são mandioca, milho, cana-de-açúcar, soja, banana, algodão e, em menor escala, arroz, café, fumo, erva-mate e sementes oleaginosas. A cultura da soja experimentou grande crescimento em regiões do Alto Paraná e Itapúa, a ponto de converter o Paraguai em um dos principais exportadores mundiais do produto.
Há criação de porcos, carneiros, cavalos e aves, a do gado bovino tem importância maior. Este é criado extensivamente no Chaco oriental e no sul do país. Os grandes rios são muito piscosos, mas a pesca é praticada apenas de maneira artesanal. A exploração florestal aproveita numerosas espécies tropicais de madeira dura, como o quebracho-branco, de que se extrai o tanino.

Energia e mineração
Pobre de jazidas minerais, o país importa derivados de petróleo. A energia elétrica, que até o final da década de 1960 era obtida em centrais térmicas, com a queima de madeira e de óleo, experimentou a seguir um extraordinário incremento de produção, graças ao aproveitamento hidrelétrico da bacia do Paraná. A represa de Itaipu, uma das maiores do mundo, forma um grande lago artificial entre o Paraguai e o Brasil para alimentar a usina hidrelétrica do mesmo nome. Sua construção resultou de um tratado assinado em 1973.
Paraguai e Brasil dividem a energia ali produzida e a limitação do mercado paraguaio permite ao país exportar uma parte de sua quota de volta para o Brasil. Outros importantes projetos hidrelétricos são os de Yacyretá-Apipe e de Corpus, em conjunto com a Argentina, também no alto Paraná.

Indústria
O setor industrial paraguaio é pouco desenvolvido. Em sua maior parte compõe-se de fábricas transformadoras de produtos agrícolas e florestais, para a elaboração de óleos vegetais, tecidos de algodão, açúcar, bebidas alcoólicas, produtos têxteis e artigos de couro.
Finanças, comércio e turismo. O sistema financeiro do país é dominado pelo Banco Central do Paraguai, emissor do guarani, a moeda nacional. O Banco Nacional de Fomento e o Banco de Desenvolvimento do Paraguai dirigem prioritariamente suas atividades para a criação e manutenção de novas indústrias e atividades agrícolas. Além da eletricidade, os principais produtos de exportação são a soja, algodão, óleos vegetais, carne e produtos florestais. Argentina, Brasil e países da Europa ocidental são os principais compradores.

Transportes e comunicações
A rede fluvial paraguaia determinou historicamente as comunicações internas e externas do país, mas na segunda metade do século XX os transportes terrestres e aéreo experimentaram enorme desenvolvimento. Quatro grandes rodovias se entroncam em Assunção. Uma delas atravessa o Chaco até a fronteira boliviana, outra atravessa o rio Paraguai até a margem argentina, onde se liga à estrada para Buenos Aires. Uma terceira vai até Encarnación, no sul, e a última une a capital ao leste, e cruza o rio Paraná na ponte da Amizade, para em seguida juntar-se à estrada que atravessa o território brasileiro até o porto de Paranaguá PR, por onde é escoada grande quantidade das exportações paraguaias.
A estrada de ferro Presidente Carlos Antonio López une Assunção a Encarnación e se liga à rede ferroviária argentina por meio de um ferry-boat que cruza o Paraná. Os rios Paraguai e Paraná são sulcados por barcos mercantes e de passageiros. Do aeroporto internacional de Assunção partem linhas aéreas para as principais cidades do país e para o exterior.

História
Séculos antes que os primeiros exploradores europeus chegassem ao território que depois seria chamado Paraguai, a região situada entre os rios Paraguai e Paraná estava ocupada por tribos guaranis seminômades, que habitavam aldeias fortificadas.

ITÁLIA

A Itália é um país europeu localizado no sul do continente, seu território é banhado pelo mar Mediterrâneo; limita-se ao norte com a Suíça, Áustria e Eslovênia; e a noroeste, com a França.

O país em questão possui uma população estimada em 59,8 milhões de habitantes, distribuídos em uma área de 301.268 km², a principal cidade é Roma, a capital nacional.

A Itália é um país desenvolvido, ocupa um lugar de destaque no cenário mundial, pois apresenta um dos maiores PIB (Produto Interno Bruto) do planeta, além de integrar os principais organismos internacionais, como o G-8, OMC (Organização Mundial do Comércio), OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) e criador da União Europeia.

A topografia do país é bastante acidentada, sendo o ponto mais elevado o Monte Branco, com 4.810 metros de altitude. Há dois vulcões no território italiano, o Monte Etna e o Monte Vesúvio. Existem vários tipos de climas na Itália, com destaque para o tipo continental, altitude e mediterrânico (com verões quentes e secos e invernos frios e chuvosos).

Há uma disparidade econômica dentro do território italiano, que é explicado pelo fato de o norte ser bastante desenvolvido industrialmente, enquanto o sul, bastante agrícola. O país importa cerca de 75% da energia consumida e uma elevada quantidade de matéria-prima. Os principais produtos de exportação italianos são: automóveis (Fiat, Aprilia, Ducati, Piaggio, Ferrari, Maserati, Lamborghini e Pegani), produtos químicos, petroquímicos, produtos elétricos, eletrodomésticos, tecnologia aeroespacial e de defesa, armas de fogo, moda e alimentos. Uma atividade de grande destaque para a economia italiana é o turismo, uma vez que o país possui o maior número de patrimônios mundiais da UNESCO. Esse fator faz com que o país seja um dos principais destinos turísticos do mundo, recebendo anualmente cerca de 37 milhões de turistas.

O povo italiano surgiu a partir da mistura de diversos povos, como os latinos, sabinos, úmbrios, samnitas, oscanos, etruscos, gregos, celtas, além de germânicos, sarracenos e normandos. A língua oficial do país é o italiano, no entanto, outras são faladas pela população, como: sardo, napolitano, vêneto, friulano, francês, alemão e esloveno.

A principal religião do país é o catolicismo romano, mas são praticadas muitas outras, como catolicismo ortodoxo, protestantismo, testemunha de Jeová, judaísmo, islamismo, budismo, sikhs e hinduísmo.

Informações diversas

Nome: República Italiana.

Gentílico: italiano (a).

Bandeira:

Brasão:

Governo: República Parlamentarista.

IDH (Índice de Desenvolvimento Humano): 0, 951 - elevado.

Esperança de vida: 80,4 anos.

Mortalidade infantil: 5,94/mil nasc.

Alfabetização: 98,5%.

Moeda: euro.

Site oficial: www.italia.gov.it

Por Eduardo de Freitas
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

CAMARÕES

Localizada na costa oeste da África e banhada pelo golfo da Guiné, a República de Camarões é uma das nações que apresenta maior diversidade cultural do continente africano, esse fato ocorre em razão da presença de diferentes grupos étnicos no território camaronês (são aproximadamente 230 grupos étnicos, que falam 250 línguas e dialetos nativos).
A nomenclatura do país, Camarões, foi criada pelo navegador Fernando Pó, no século XV, em virtude do Rio dos Camarões.

A independência de Camarões só foi obtida em 1° de janeiro de 1960, após o país ter sido colônia da França e Inglaterra ao término da Segunda Guerra Mundial, em 1945.

Mais de 40% do território é coberto por floretas tropicais. No norte, onde predominam as savanas, o clima tropical é seco, tornando-se árido nas proximidades do lago Chade. No oeste, há formações montanhosas de origem vulcânica, cujo ápice é o monte Camarões (4,1 mil metros), um dos mais altos da África Central.
A disputa territorial com a Nigéria pela península de Bakassi provoca conflitos de fronteira desde os anos de 1990.


Brasão de Camarões

Dados de Camarões:

Extensão territorial: 475.442 km².

Localização: África.

Capital: Laundê.

Clima: Tropical (ao norte) e Equatorial (ao sul).

Governo: República presidencialista.

Presidente: Paul Biya

Divisão administrativa: 10 províncias.

Idiomas: Francês e inglês (oficiais), principais línguas regionais: fang, balimequê, duala.

Religião: Cristianismo 54,2% (católicos 26,5%, protestantes 20,7%, outros 7%), crenças tradicionais 23,7%, Islamismo 21,2%, sem religião e ateísmo 0,4%, Bahaísmo 0,4%.

População: 19.521.645 habitantes. (Homens: 9.758.751; Mulheres: 9.762.894).

Composição Étnica: Camarões 31%, bantos 19%, quirdis 11%, fulanis 10%, outros grupos étnicos autóctones 29%.

Densidade demográfica: 37 hab/km².

Taxa média anual de crescimento populacional: 2,3%.

População residente em área urbana: 57,6%.

População residente em área rural: 42,4%.

População subnutrida: 23%.

Esperança de vida ao nascer: 50 anos.

Domicílios com acesso a água potável: 70%.

Domicílios com acesso a rede sanitária: 51%.

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,523 (2007).

Moeda: Franco CFA.

Produto Interno Bruto (PIB): 20.606 milhões de US$.

PIB per capita: 1,111 de US$.

Relações exteriores: Banco Mundial, Comunidade Britânica, FMI, OMC, ONU, UA.

Por Wagner de Cerqueira e Francisco
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

JAPÃO

O Japão é um país situado no continente asiático, extremo oriente, suas terras se encontram na zona temperada norte, portanto, no hemisfério norte.

O território japonês não é extenso, além disso, é descontínuo, não faz fronteira continental com nenhum país, uma vez que se encontra envolvido a oeste pelo mar do Japão e a leste pelo oceano Pacífico, essa característica territorial produz um extenso litoral, superando o Brasil quatro vezes.

O espaço territorial é recortado, o país é constituído por ilhas, sendo que as principais são Kyushu, Shikoku, Honshu e Hokkaido, em suma é formado por um arquipélago. Além das ilhas principais existem ainda aproximadamente três mil ilhas secundárias.

O arquipélago em grande parte, aproximadamente 75% do território, é constituído por relevo montanhoso por causa do dobramento moderno, devido a isso não sofreu grandes processos erosivos, no entanto, as áreas litorâneas são constituídas por planícies.

O ponto culminante do Japão se encontra no Monte Fuji, com 3.776 metros de altitude, por outro lado o ponto mais baixo está abaixo do nível do mar, no lago Hachirogata.

No Japão existem pelo menos oitenta vulcões em atividade, outro fenômeno que integra a realidade japonesa são os constantes abalos sísmicos e tsunamis, isso por que o país encontra-se na borda da placa eurasiana.

A hidrografia japonesa é composta em sua maioria por rios de restrita extensão e de corredeiras.

O território japonês ocupa uma área de 372.000 quilômetros quadrados no qual estão distribuídos cerca de 127,1 milhões de pessoas, a maioria se encontra nas áreas de planícies.

Devido a sua localização geográfica, o clima que predomina é o temperado, no norte há invernos rigorosos com incidência de precipitação de neve e no sul o que prevalece é o clima subtropical.

A falta de recursos minerais no Japão sempre foi um dos grandes problemas do país, esse fica dependente de outros países, fato que ocasionou no passado as tentativas de expansão territorial, mas nada disso impediu que o país se tornasse a terceira maior economia do planeta.

Por Eduardo de Freitas
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

DINAMARCA

Terra de origem dos antigos vikings, a Dinamarca situa-se no norte da Europa e é o menor dos países escandinavos. Danimark, de acordo com a língua local, significa “terra ou território do povo dano”. Seu território é banhado pelo Atlântico, limitado pela Alemanha, ao sul. A Dinamarca compreende a península da Jutlândia e 406 ilhas nos mares Bálticos e do Norte. Possui dois territórios externos (áreas pertencentes ao país que, no entanto, estão separadas geograficamente), a Groelândia e as ilhas Faroe. A maior de suas ilhas, Zelândia, está separada da Suécia por um estreito cujas margens abrigam Copenhague.

A nação conta com um dos mais altos Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do mundo e eficiente sistema de previdência social.

Atualmente, a Dinamarca é governada pela Rainha Margarita II e pelo primeiro-ministro Anders Fogh Rasmussen.


Brasão da Dinamarca

Dados da Dinamarca:

Extensão territorial: 43.077 km².

Localização: Europa.

Capital: Copenhague.

Clima: Temperado oceânico.

Governo: Monarquia parlamentarista.

Divisão administrativa: 14 condados, 1 cidade e 1 distrito.

Idiomas: Dinamarquês.

Religião: Cristianismo 91,6% (protestantes 87,7%, outros 3,9%), sem religião 5,4%, ateísmo 1,5%, outras 1,6%.

População: 5.470.293 habitantes. (Homens: 2.711.537; Mulheres: 2.758.756).

Composição Étnica: Dinamarqueses 57%, europeus 40% (outros nórdicos e alemães), outros 3%.

Densidade demográfica: 126 hab/km².

Taxa média anual de crescimento populacional: 0,3%.

População residente em área urbana: 86,94%.

População residente em área rural: 13,06%.

População subnutrida: 3,5%.

Esperança de vida ao nascer: 78,1 anos.

Domicílios com acesso a água potável: 100%.

Domicílios com acesso a rede sanitária: 100%.

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,955.

Moeda: Coroa Dinamarquesa.

Produto Interno Bruto (PIB): 311.596 milhões de US$.

PIB per capita: 57.257 de US$.

Relações exteriores: Banco Mundial, FMI, OCDE, OMC, ONU, OTAN, UE.

Por Wagner de Cerqueira e Francisco
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

HOLANDA

Os Países Baixos (pronuncia-se / nɛðərləndz / ( ouvir ); holandês : Nederland, pronunciado [ne dərlɑnt ː] ( ouça )) é um país constituinte do Reino dos Países Baixos , localizada no Noroeste da Europa . É uma democracia parlamentar monarquia constitucional . As fronteiras Países Baixos, o Mar do Norte ao norte e ao oeste, na Bélgica , ao sul, e da Alemanha a leste. A capital é Amsterdã ea sede do governo é Haia .

A Holanda, em sua totalidade é muitas vezes referida como a Holanda , apesar do Norte e Holanda do Sul são, na verdade apenas duas de suas doze províncias (ver terminologia de "Países Baixos" ). A palavra " holandês é usado para se referir ao povo, a língua, qualquer coisa e pertencentes aos Países Baixos. Esta diferença lexical entre o substantivo eo adjetivo é um atributo do idioma Inglês que não existe na língua holandesa . O adjetivo "holandês" é derivada do idioma que era falado na região, chamado de "dietas", o que equivale a média holandesa .
A Holanda foi uma das primeiras democracias parlamentares . Entre outras afiliações que o país é um membro fundador da União Europeia (UE), da NATO , da OCDE e da OMC . Com a Bélgica e Luxemburgo faz o Benelux união económica. O país é anfitrião de cinco tribunais internacionais: o Tribunal Permanente de Arbitragem , o Tribunal Internacional de Justiça , o Tribunal Penal Internacional para a ex-Jugoslávia , o Tribunal Penal Internacional eo Tribunal Especial para o Líbano . Os quatro primeiros estão situados em Haia, como UE agência de inteligência criminal da Europol e da cooperação judiciária agência Eurojust . Isto levou à cidade a ser apelidado de "a capital jurídica do mundo". [4] A Holanda tem um capitalista baseado numa economia de mercado, ranking 15 de 157 países de acordo com o Índice de Liberdade Econômica . [5]
A Holanda é um país de baixa altitude geograficamente, com cerca de 20% de sua área e 21% de sua população situada abaixo do nível do mar, [6] com 50% de suas terras situada menos de um metro acima do nível do mar. [7] significativos área de terra foi adquirida através de recuperação de áreas degradadas e preservadas através de um elaborado sistema de polders e diques . Grande parte dos Países Baixos é formado pelo estuário de três importantes rios europeus, que, juntamente com os seus distributaries formulário -Meuse-Escalda delta do Reno . A maioria do país é muito plana, com excepção dos montes no sudeste distante e várias colina baixa intervalos na parte central.

GANA

País integrante da Comunidade Britânica (formada pelo Reino Unido e suas ex-colônias), Gana está localizada na África Ocidental. Seu território limita-se com Burkina Faso (ao norte), Costa do Marfim (a oeste), Togo (a leste), além de ser banhado pelo golfo da Guiné, no oceano Atlântico (ao sul). O país foi colônia britânica, sendo a primeira da África Ocidental, a tornar-se independente em 1957, reunindo os antigos territórios da Costa do Ouro e de Togolândia.

Durante o período colonial português (entre os séculos XVI e XIX), vários habitantes do território que atualmente corresponde à Gana foram levados à América para trabalharem como escravos. Com o fim da escravidão, muitos deles voltaram para seu território de origem, formando uma comunidade chamada Tabom.

Gana possui uma das economias mais estáveis do continente africano. O país é grande exportador de ouro, diamante, manganês, bauxita e madeira. Outro elemento de suma importância para a economia nacional é o cacau – produto que caracteriza o país como sendo o segundo maior produtor mundial.
A agricultura baseia-se na produção de café, banana, batata, milho e arroz. A indústria atua na produção alimentícia, de bebidas, cigarros, produtos químicos, metalúrgica e madeireira. A atividade industrial é beneficiada pela hidrelétrica de Akosombo, cuja barragem forma o mais extenso lago artificial do mundo, o Volta.

Mesmo com uma economia diversificada, Gana apresenta grandes problemas socioeconômicos. Aproximadamente 10% da população é subnutrida e somente 10% das residências possuem rede de esgoto.


Brasão de Armas de Gana

Dados de Gana:

Extensão territorial: 238.533 km².

Localização: África.

Capital: Acra.

Clima: Equatorial.

Governo: República presidencialista.

Divisão administrativa: 10 regiões subdivididas em distritos.

Idiomas: Inglês (oficial), línguas regionais.

Religião: Cristianismo, 57,6% (protestantes, 24%, independentes, 15,7%, outros, 12,6%, sem filiação, 5,3%), crenças tradicionais, 22,1%, islamismo, 19,8%, sem religião e ateísmo, 0,5%.

População: 23.837.261 habitantes. (Homens: 12.080.684; Mulheres: 11.756.577).

Composição Étnica: Açãs, 44%, móssi-dagombas, 16%, euês, 13%, gás, 8%, outros, 19%.

Densidade demográfica: 100 hab./km².

Taxa média anual de crescimento populacional: 2%.

População residente em área urbana: 50,74%.

População residente em área rural: 49,26%.

População subnutrida: 9%.

Esperança de vida ao nascer: 59,4 anos.

Domicílios com acesso a água potável: 80%.

Domicílios com acesso a rede sanitária: 10%.

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,526.

Moeda: Novo cedi.

Produto Interno Bruto (PIB): 16,1 bilhões de dólares.

PIB per capita: US$ 647.

Relações exteriores: Banco Mundial, Comunidade Britânica, FMI, OMC, ONU, UA.

Por Wagner de Cerqueira e Francisco
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

SÉRVIA

A Sérvia (em sérvio Србија, transl. Srbija) é um país europeu, cuja capital é Belgrado, localizado no sudeste da Europa, na região balcânica. Faz fronteira a sudoeste com Montenegro, país do qual se separou em 2006, a oeste com a Bósnia e Herzegovina, a noroeste com a Croácia e ao sul com a Macedônia e Albânia, ao leste com a Romênia e a Bulgária e ao norte com a Hungria. A província do Kosovo, no sul, proclamou sua independência unilateralmente em 17 de Fevereiro de 2008, mas o governo sérvio não a reconhece.
É uma ex-república iugoslava, tendo integrado, até junho de 2006, uma confederação com Montenegro denominada Sérvia e Montenegro. No dia 5 de junho do mesmo ano, a Sérvia declarou sua independência, 2 dias após Montenegro ter feito o mesmo. No entanto, a Sérvia foi reconhecida como o estado sucessor da união, que por sua vez sucedia a República Federal da Jugoslávia. A 22 de dezembro de 2009 a Sérvia apresentou a candidatura oficial de adesão à União Europeia.

AUSTRÁLIA

A Austrália é um jovem país, mas já ocupa um lugar de destaque econômico e social no cenário mundial. O território deste país ocupa uma área de 7.713.364 km2, pouco menor que o brasileiro. Hoje, vive na Austrália cerca de 21,2 milhões de habitantes, número bastante restrito em decorrência do extenso território do país, resultando em uma densidade demográfica de aproximadamente 2,7 habitantes por quilômetro quadrado. A população australiana possui uma boa qualidade de vida, demonstrada pelos indicadores sociais, que indicam um IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) de 0,970, o segundo mais elevados do mundo. Além de apresentar uma expectativa de vida de mais de 81 anos. A mortalidade infantil também reflete a boa qualidade de vida no país, pois nesse quesito, o índice atual é de cerca de 4,57 mortes a cada mil nascimentos. E por último, o índice de alfabetização, que é muito elevado, mais de 99%. Pode-se observar, pelo que foi exposto acima, que todos os indicadores sociais do país apresentam índices superiores às medias mundiais.

Dos mais de 21,2 milhões de habitantes australianos, cerca de 95% tem origem européia, com predominância britânica, porém, existem ainda as minorias nacionais, como as de origem aborígine. A maior parte da população do país se concentra no sudeste do território, regiões que estão estabelecidos os principais parques industriais. Por ter um bom índice de industrialização, a população urbana é bastante superior à população rural, mais de 85% dos habitantes vivem em cidades. Os centros urbanos de maior concentração de pessoas são Melbourne (cerca de 3,7 milhões de habitantes), Brisbane (cerca de 980 mil), Perth (1,5 milhão) e Adelaide ( 1,1 milhão). Na Austrália, o crescimento vegetativo é muito reduzido e vem caindo anualmente.

Por Eduardo de Freitas
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

ALEMANHA

Alemanha ou República Federal da Alemanha é um país autônomo localizado no centro do continente europeu, nação idealizadora da União Européia. O território alemão é dividido em 16 estados que ocupam uma área de 356.733 Km2, onde vivem cerca de 82,2 milhões de habitantes.

Atualmente a Alemanha é um dos mais importantes países do mundo, em decorrência do elevado PIB e do desenvolvimento econômico, tecnológico, militar, qualidade de vida entre outros. O país se caracteriza pela elevada condição de vida de sua população e prosperidade econômica.

No setor econômico o país é a principal economia dentro do continente europeu e a terceira em nível global, sendo superada somente pelos Estados Unidos e Japão. A Alemanha é um grande exportador, além de possuir a sede de empresas que atuam em diferentes lugares do mundo (transnacionais). Frankfurt é uma cidade global que abriga importantes centros financeiros, como bolsa de valores, bancos, instituições supranacionais, centros de pesquisas entre outros.

O clima na Alemanha é instável e imprevisível, ou seja, propício a variações drásticas nas condições do tempo, um dia está quente com muito sol, no outro dia frio e chuvoso. O clima predominante no território é o temperado continental, mas existem áreas que apresentam característica oceânica. O relevo alemão é constituído de planaltos nas áreas centrais do país, Alpes no sul e planícies ao norte.

Informações diversas sobre a Alemanha

Nome do País: República Federal da Alemanha.

Capital: Berlim.

Língua oficial: Alemão.

Governo: República Federal.

Ingresso na União Européia: 25 de março de 1957.

Área territorial: 357. 050 km2.

População: 82,2 milhões de habitantes.

IDH (Índice de Desenvolvimento Humano): 0,947 – elevado.
Expectativa de vida: 79,3 anos.
Alfabetização: 99,9%.

Por Eduardo de Freitas
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

ESLOVÊNIA

A Eslovênia é um país europeu, mais precisamente, do leste europeu. A dimensão territorial é modesta, o país ocupa uma área de 20 251 km², na qual habitam aproximadamente 2 milhões de pessoas.

O território eslavo limita-se com a Áustria, ao norte; com a Hungria, a leste; com a Croácia, a leste e ao sul; e com a Itália e o Mar Adriático, a leste.

O ponto culminante da Eslovênia se encontra no Monte Triglav, esse possui 2 864 metros de altitude. Em média, a topografia do país não ultrapassa os 557 metros acima do nível do mar.

O país ainda conserva suas florestas, uma vez que elas cobrem cerca de 50% do território nacional. Apesar do tamanho reduzido do território, é possível identificar diversos tipos de climas. No litoral predomina o clima mediterrâneo; nas montanhas, o alpino, além do continental, que apresenta verões que oscilam entre suaves e quentes e invernos frios nos planaltos e vales do leste do país.

Em 1° de janeiro de 2007 o país adotou o Euro como moeda. A produção industrial do país se destaca principalmente na fabricação de produtos químicos, componentes de automóveis, produtos metálicos, aparelhos e utensílios elétricos, mobiliários e têxteis.

A população eslovena está dividida no país entre habitantes da zona rural (49%) e habitantes que vivem em centros urbanos (51%). O povo é bastante homogêneo, cerca de 91% são eslavos, o restante é de origem sérvia, croata e bósnia.

Informações gerais

Nome: República da Eslovênia.

Bandeira:

Brasão:

Capital: Liubliana.

Gentílico: esloveno (a).

Língua oficial: esloveno.

Governo: República parlamentar.

Independência: da Iugoslávia, 25 de junho de 1991.

Ingresso na União Europeia: 1° de maio de 2004.

PIB (Produto Interno Bruto): 47 bilhões de dólares.

Renda per capita: 26, 576 mil dólares.

IDH (Índice de Desenvolvimento Humano): 0, 929 – elevado.

Moeda: euro.

Por Eduardo de Freitas
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

ARGÉLIA

Capital: Argel
Extensão Territorial: 2.381.741 Km2
Clima: Árido Subtropical
População (2009): 34.895.470 habitantes
Densidade demográfica: 14,6 hab/Km2
Idioma: Árabe e berbere (oficiais), francês
Religião: Islamismo 96,7%, sem religião 3%, cristianismo 0,3%
Moeda: Dinar argelino
IDH: 0,754
Total do PIB (2007): 132.452 milhões de US$
Esperança de vida ao nascer: 72 anos

A Argélia está localizada no litoral norte da África, é banhada pelo Mediterrâneo. Faz fronteira com a Tunísia, Líbia, Níger, Mali, Mauritânia, Saara Ocidental e Marrocos. É o segundo maior país em extensão territorial do continente africano, atrás apenas do Sudão.

O território foi habitado primeiramente pelos berberes, em seguida foi ocupado e incorporado por diversos povos e impérios, entre eles se destacam os fenícios, cartagineses, romanos, vândalos, bizantinos e árabes.

Em 1830 a França invadiu a Argélia, com a intenção de dominar o seu litoral. Em 1857 ocorreu a dominação definitiva dos franceses no território argelino. A luta pela independência se intensificou principalmente após a II Guerra Mundial, com o levante popular de 1945, porém eles foram reprimidos com muita violência por parte dos franceses.

A FLN (Frente de Libertação Nacional) foi organizada em 1954, e deu início a uma luta armada contra a dominação da França. Somente em 1962 os franceses reconheceram a independência da Argélia. Cerca de 1 milhão de franceses deixaram o país em direção à França. A Argélia passou a ser governada no mesmo ano por Ahmed Bem Bella, representante da Frente de Libertação Nacional, único partido político do país.

Somente em 1989 foi aceito o multipartidarismo, esse fato ocorreu devido aos protestos da população, que resultou numa reforma constitucional que acabou com o regime de partido único. Criou-se a FIS (Frente de Libertação Islâmica), principal organização oposicionista da Frente de Libertação Nacional.
A eleição presidencial de 1991 foi vencida pelo representante da Frente de Libertação Islâmica, Bendjedid. No entanto, em 1992 ocorreu um golpe militar que forçou Bendjedid a renunciar o cargo.

Em 2009, Abdelaziz Bouteflika foi eleito presidente da Argélia pela terceira vez, acusações de irregularidades na disputa eleitoral foram feitas pela mídia e oposição.

Por Wagner de Cerqueira e Francisco
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

ESTADOS UNIDOS

Estados Unidos da América é um país localizado no continente americano, mais precisamente, na América do Norte. O nome desse país é também expresso a partir de siglas como USA, US e EUA. Os Estados Unidos são divididos em 50 Estados.

O território dos Estados Unidos limita-se ao norte, com o Canadá; ao sul, com o México; a oeste, com o oceano Pacífico; e a leste, com o oceano Atlântico.

O país é o terceiro mais populoso do mundo, superado somente pela China (1,3 bilhão) e Índia (1,1 bilhão). A população estadunidense é de aproximadamente 314,6 milhões de habitantes, distribuídos em um dos maiores países do mundo, ocupando uma área de 9 363 520 km².

Em razão da sua extensão territorial, há uma variedade de paisagens no país, das quais podemos citar: floretas temperadas, pantanais, planícies, montanhas rochosas, desertos, florestas húmidas, regiões árticas e ilhas vulcânicas.

O seu tamanho faz com que o país apresente uma grande variedade de climas, entre os principais: subtropical, polar, mediterrâneo e temperado.

Etnicamente, a população dos Estados Unidos é constituída por alemães, irlandeses, ingleses, italianos, escandinavos, poloneses, franceses, hispânicos, africanos e asiáticos.

Os Estados Unidos possuem a principal economia do mundo, a sua moeda é forte e é usada como referência para demonstrar dados econômicos, por exemplo.

O subsolo do país abriga uma grande riqueza em minérios, como ouro, petróleo, carvão e urânio. Na agricultura, apresenta como um dos mais desenvolvidos do mundo, sendo grande produtor de milho, trigo, açúcar e tabaco. Na indústria o país também se destaca, uma vez que seu parque industrial é bastante diversificado, atuando desde a produção de base até o desenvolvimento de tecnologia de ponta. Os principais produtos industrializados são automóveis, aviões e produtos eletrônicos. Mas o setor da economia que mais emprega a população economicamente ativa (PEA) no país é o de serviços, ou seja, terciário.

Informações gerais

Nome: Estados Unidos da América.

Bandeira:

Brasão:

Gentílico: estadunidense, ianque, norte-americano e americano.

Capital: Washington.

Língua oficial: inglês.

PIB (Produto Interno Bruto): 14,02 trilhões de dólares.

Renda per capita: 46.272 dólares.

IDH (Índice de Desenvolvimento Humano): 0, 956 – elevado.

Esperança de vida: 78 anos.

Mortalidade infantil: 6,37/ mil nasc.

Alfabetização: 99%.

Moeda: dólar americano.

Site oficial: www.usa.gov

Por Eduardo de Freitas
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

INGLATERRA

A Inglaterra é uma das nações constituintes do Reino Unido. Historicamente dominante, ocupa a metade sul da ilha da Grã-Bretanha, à excepção de uma área a oeste, correspondente ao País de Gales. Limita a Norte com a Escócia, a Leste com o mar do Norte, a Sul com o canal da Mancha e a Oeste com o oceano Atlântico, Gales e o mar da Irlanda. Sua capital é Londres. Tem uma área de 130 439 quilômetros quadrados, e uma população de 49 milhões de habitantes.
A área que é agora chamada de Inglaterra foi ocupada por povos de várias culturas por cerca de 35.000 anos, mas leva o seu nome dos Anglos, uma das tribos germânicas que se instalaram entre o séculos V e VI. A Inglaterra tornou-se um Estado unificado em 927 DC, e desde a época dos Descobrimentos, que iniciou-se no século XV, teve um significativo impacto cultural e jurídico em todo o mundo. O idioma Inglês, a Igreja Anglicana e o sistema parlamentar tem sido amplamente adotado por outras nações. A Revolução Industrial teve origem na Inglaterra no século XVIII, transformando o país no primeiro país industrializado e os seus Royal Society lançou as bases da ciência experimental moderna.
O Reino da Inglaterra, que depois de 1284 incluiu Gales, era um Estado soberano até 1 de Maio de 1707, quando os Atos de União pôs em prática as condições estabelecidas no Tratado da União do ano anterior, resultando em uma união política com o Reino da Escócia para criar o Reino Unido da Grã-Bretanha. Em 1800, a Grã-Bretanha uniu-se com a Irlanda através de uma outra lei da União para se tornar o Reino Unido da Grã-Bretanha e da Irlanda. Em 1922 o Estado Livre Irlandês foi estabelecido como um domínio separado, posteriormente a Irlanda do Norte foi incorporada ao Reino Unido, criando o Reino Unido da Grã-Bretanha e da Irlanda do Norte.

GRÉCIA

Situada no extremo sul dos Bálcãs, no sudeste da Europa, a Grécia abrange a península montanhosa do Peloponeso e cerca de duas mil ilhas nos mares Egeu e Jônico. Faz fronteira a norte com a Bulgária, e com a Albânia; a leste com a Turquia; a sul com o Mar Mediterrâneo e a oeste com o Mar Jônico.

O país é considerado o berço da civilização ocidental, da filosofia, da literatura, da dramaturgia e da ideia moderna de democracia. A Grécia possui mais monumentos da Antiguidade que qualquer outra nação europeia. Dentre eles, vários são patrimônios da humanidade, como o Sítio Arqueológico de Olímpia, onde nasceram os jogos Olímpicos, o Oráculo de Delfos, local de culto ao Deus Apolo, e a Acrópole, assentada no coração da capital, Atenas.

A riqueza histórica grega, juntamente com suas belezas naturais com praias de clima ameno e águas claras, atrai milhões de visitantes, o que faz do turismo uma das principais atividades econômicas do país. Nas montanhas de solo pobre e rochoso, predominam plantações de uva e azeitona, das quais a Grécia é um dos grandes exportadores mundiais.


Brasão de Armas da Grécia

Dados da Grécia:

Extensão territorial: 131.990 km².

Localização: Europa.

Capital: Atenas.

Clima: Mediterrâneo.

Governo: República parlamentarista.

Divisão administrativa: 13 regiões.

Idioma: Grego.

Religião: Cristianismo 94,7% (ortodoxos 93%, outros 1,7%), outras 3,4%, sem religião e ateísmo 1,9%.

População: 11.161.335 habitantes. (Homens: 5.533.114; Mulheres: 5.628.221).

Composição Étnica: Gregos 98%, outros 2%.

Densidade demográfica: 84,5 hab/km².

Taxa média anual de crescimento populacional: 0,23%.

População residente em área urbana: 61,17%.

População residente em área rural: 38,83%.

População subnutrida: 3%.

Esperança de vida ao nascer: 79,1 anos.

Domicílios com acesso a água potável: 100%.

Domicílios com acesso a rede sanitária: 98%.

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,942.

Moeda: Euro.

Produto Interno Bruto (PIB): 313.355 milhões de US$.

PIB per capita: 28.111 de US$.

Relações exteriores: Banco Mundial, FMI, OCDE, OMC, ONU, OTAN, UE.

Por Wagner de Cerqueira e Francisco
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

COREIA DO SUL

Após a Segunda Guerra Mundial, e início da Guerra Fira, no ano de 1948, o território da Coreia foi dividido em duas partes. Essa divisão teve como critério a passagem do paralelo 38° norte. Originou-se um país ao norte desse paralelo, denominado Coreia do Norte, sob a influência do regime socialista da ex-União Soviética; e outro país ao lado sul desse mesmo paralelo, denominado Coreia do Sul, sob a influência do capitalismo Estadunidense.
Somente no dia 15 de agosto de 1948, foi criada a República da Coreia (nome oficial), com capital em Seul e sob influência política norte-americana.

Após vários anos de conflitos entre as duas Coreias, somente no final da década de 1990 houve o processo de aproximação político-econômico entre as duas nações.

A Coreia do Sul é um país do sudeste asiático, tem terreno montanhoso, banhado pelo Oceano Pacífico, localizado na porção meridional da Península da Coreia. Limita-se com a Coreia do Norte, China e Rússia. O topônimo Coreia deriva-se de Koryo, "alto e belo", nome da dinastia que governou o país de 918 a.C. até 1392 d.C.

Em virtude de seu acelerado desenvolvimento industrial e econômico durante a década de 1970, formou, juntamente com Cingapura, Hong Kong e Taiwan, os “Tigres Asiáticos”. Seu Produto Interno Bruto (PIB) cresceu, em média, 9,1% ao ano entre 1980 e 1993, uma das taxas mais altas do mundo.
Quatro grandes chaebols controlam a economia coreana e têm forte atuação no mercado internacional: Hyunday, Daewoo, Samsung e Lucky Gold Star.


Brasão da Coreia do Sul

Dados da Coreia do Sul:

Extensão territorial: 99.016 km².

Localização: Ásia.

Capital: Seul.

Clima: Temperado continental.

Governo: República com forma mista de governo.

Presidente: Lee Myung-bak.

Divisão administrativa: 9 províncias e 6 cidades especiais.

Idioma: Coreano.

Religião: Cristianismo 40,8% (católicos 18,9%, independentes 16,4%, outros 10,8%, dupla filiação 5,3%), crenças tradicionais 15,6%, Budismo 15,3%, novas religiões 15,2%, Confucionismo 11,1%, sem religião e ateísmo 1,6%, outras 0,5%.

População: 48.332.820 habitantes. (Homens: 23.931.788; Mulheres: 24.401.032).

Composição Étnica: Coreanos 99,9%, Chineses 0,1%.

Densidade demográfica: 481 hab/km².

Taxa média anual de crescimento populacional: 0,46%.

População residente em área urbana: 81,71%.

População residente em área rural: 18,29%.

População subnutrida: 4,5%.

Esperança de vida ao nascer: 78,2 anos.

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,937 (2007).

Moeda: Won.

Produto Interno Bruto (PIB): 956.788 milhões de US$.

PIB per capita: 19.841 de US$.

Relações exteriores: Apec, Banco Mundial, FMI, OMC, ONU, OCDE.

Por Wagner de Cerqueira e Francisco
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

NIGÉRIA

A República Federal da Nigéria está localizada no continente africano e possui uma grande riqueza em recursos naturais. Essa nação possui o maior contingente populacional do continente, debaixo do subsolo nigeriano existe uma enorme reserva de petróleo, no entanto, isso de nada favorece a população que enfrenta uma série de mazelas sociais. Muitas vezes, o dinheiro tem destinos ilícitos, como o desvio de verbas e a prática da corrupção, dessa forma, os habitantes não são beneficiados com a arrecadação da receita.

A configuração da cidade de Lagos, uma das maiores da Nigéria, é caracterizada por uma grande aglomeração de pessoas que convivem com o desprovimento de serviços públicos de infra-estrutura (moradia, alimentação, saúde, educação, renda, entre muitos outros), e isso tende só a piorar, uma vez que existem altos índices de crescimento demográfico.

Lagos ocupa um lugar de destaque entre as cidades da Nigéria, embora tenha perdido, em 1991, a condição de capital do país para a cidade de Abuja.

Estima-se que a população da Nigéria totaliza, aproximadamente, 154,7 milhões de habitantes, no subsolo nacional se encontra uma das maiores reservas de minério fóssil do mundo, são cerca de 1 milhão de quilômetros quadrados. Parece que essa imensa riqueza não consegue atingir a pobreza com a qual seus habitantes convivem, o país está entre os piores em qualidade de vida e um dos primeiros em níveis de pobreza.

Características climáticas da Nigéria

O clima predominante no território nigeriano sofre influências diretas dos efeitos provocados pela maritimidade. Nas áreas próximas ao litoral sul a temperatura máxima é de 32ºC, composta por uma alta umidade relativa do ar e índices pluviométricos relativamente elevados e bem distribuídos durante todo o ano. No centro do país o período chuvoso ocorre de abril a outubro, já a época da seca desenvolve de novembro a março, nessa as temperaturas são elevadas e podem superar os 38ºC. Ao norte, a seca permanece por um período maior, cerca de oito meses, fenômeno provocado pela influência dos ventos secos e quentes originados no Deserto do Saara.

Economia da Nigéria

A economia nigeriana era baseada na produção agropecuária, principalmente no cultivo de cacau, café, amendoim, banana e azeite de dendê, todos com finalidade de exportação.

A produção de alimentos não acompanhou o crescimento populacional, então o país recorreu à importação para suprir as necessidades internas.

O país possui jazidas de diversos minérios, mas o principal é o petróleo, esse recurso mineral responde, atualmente, por 20% do Produto Interno Bruto, 95% das exportações e 80% da receita nacional.

O setor industrial ainda é discreto, mas as empresas já existentes e atuam, principalmente, no segmento de bebidas, fumo, equipamentos de transporte e automóveis, produtos químicos, têxteis e alimentos, o parque industrial nigeriano está localizado nas cidades litorâneas.

Informações gerais sobre a Nigéria:

Área: 923.768 km2.

Capital: Abuja.

Idioma: Inglês como oficial, além de outros praticados, como haussá, ibo e ioruba.

Religião: 40% cristianismo, 50% Islamismo, 10% religiões diversas.

Moeda: Naira.
Eduardo de Freitas
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

ARGENTINA

A Argentina é um país localizado no hemisfério sul ocidental, situado na América do Sul. O seu território limita-se ao norte com a Bolívia e o Paraguai; ao nordeste, com o Brasil; a leste, com o Uruguai, oceano Atlântico e as Ilhas Malvinas; e a oeste com o Chile.

O território argentino abrange uma área de 2 766 889 km², onde vivem aproximadamente 40,2 milhões de habitantes. A Argentina possui o segundo maior território da América do Sul, superada nesse quesito somente pelo Brasil, que abrange uma área de 8 514 876 599 km².

A população argentina apresenta um dos melhores indicadores sociais da America Latina, fato que resulta em uma boa qualidade de vida a seus habitantes. O Estado argentino é dividido em 23 províncias e um distrito federal.

Vista panorâmica da capital Argentina, Buenos Aires.
Na Argentina o clima que predomina é o temperado, apesar de haver também áreas de clima subtropical, como no norte, e árido subantártico no extremo sul do país.

O país ocupa o lugar de segunda economia na América do Sul, considerado como uma nação emergente. Os principais produtos de exportação do país são respectivamente: carne bovina e derivados, lã e vinho. Na produção de vinho o país ocupa o quinto lugar no mundo.

A população argentina é constituída etnicamente a partir de europeus, sobretudo, espanhóis e italianos, misturados à indígenas e mestiços.


Informações gerais da Argentina

Nome: República Argentina.

Bandeira:

Brasão:

Gentílico: argentino (a).

Capital: Buenos Aires.

Densidade demográfica: 14,5 hab./ km².

PIB (Produto Interno Bruto): 262.327 milhões de US$.

Renda per capita: 6.636 US$.

IDH (Índice de Desenvolvimento Humano): 0, 866 elevado.

Expectativa de vida: 75 anos.

Mortalidade infantil: 13,4 / mil nasc.

Alfabetização: 97,2%.

Moeda: peso argentino.

Site oficial: WWW. argentina.gov.ar

Língua oficial: espanhol.

Por Eduardo de Freitas
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

FRANÇA

A França ou República Francesa é um país localizado no continente europeu. A nação possui uma população de aproximadamente 62,3 milhões de habitantes distribuídos em um território que ocupa 551 500 km².

A França está entre os países mais ricos e desenvolvidos do mundo. Na Europa, ocupa o terceiro lugar entre as economias do continente, superada somente pela Alemanha e o Reino Unido. No âmbito global, é a sexta economia, superada pelos Estados Unidos, Japão, Alemanha, República Popular da China e Reino Unido.

A capital, Paris, exerce um importante papel na Europa, inclusive, é uma das mais populosas (com 2,1 milhões de habitantes) do continente. Além disso, é considerada uma cidade global, ou seja, uma das mais importantes do mundo.

A economia francesa é uma das mais fortalecidas do mundo, seu parque industrial é bastante diversificado, atua na fabricação de automóveis, aviões, peças, produtos químicos e alimentos. Além da indústria de tecnologia de ponta, que fabrica produtos de informática e suprimentos, artigos eletrônicos e armamentos.

A França é o país de origem de várias empresas multinacionais, entre as quais podemos citar: Accor, Air France, Air Liquide, Alcatel, Alstom, Areva, Aventis, Axa, BNP Paribas, Bouygues, Carrefour, Champion, Citroem, Danone, EDF, ELF, FNAC, France Telecom, Leroy Merlin, Michelin, Peugeot, Renault, Saint- Gobain, Suez, Thales, Thomson, entre outras.

Além do setor industrial francês, outra importante fonte de receita é o turismo. Anualmente, a França recebe cerca de 70 milhões de turistas, que “injetam” bilhões de dólares na economia.
Dentre os inúmeros produtos de exportação estão os vinhos e os perfumes franceses, que são famosos em todo o mundo.

Na agricultura, o país se destaca na produção de trigo, batata doce, milho, cevada, uva, batata, frutas, aveia, girassol, hortaliças, beterraba, tabacos e vinhos. Na pecuária, as principais criações são de bovinos, suínos, ovinos, caprinos, além dos pescados, como bacalhau, badejo e sardinha.

No extrativismo mineral, o país se destaca na produção de carvão, ferro, sais de potássio, bauxita, zinco, chumbo, ouro, petróleo, gás natural, gipsita e aço.

A população francesa possui uma boa qualidade de vida, apresenta bons indicadores sociais, além disso, a renda per capita é uma das melhores do mundo. A constituição francesa concede o direito de culto no país, assim, são praticadas diversas religiões, dentre elas: catolicismo (maioria), agnosticismo, ateísmo, islamismo, protestantismo e judaísmo.

O idioma oficial é o francês, no entanto, línguas minoritárias são faladas no país, como o catalão, bretão, corso, ocitano, provençal, franco-provençal, basco e o alsaciano.

Dados gerais

Nome: República Francesa.

Bandeira:

Brasão:

Gentílico: francês ou francesa.

Capital: Paris.

Idioma oficial: francês.

Governo: República Unitária Semipresidencial.

Entrada na União Europeia: 25 de março de 1957.

Densidade demográfica: 113 hab./km².

Renda per capita: 31 825 mil dólares.

IDH (Índice de Desenvolvimento Humano): 0, 961 – elevado.

Esperança de vida: 80,4 anos.

Mortalidade infantil: 3,41/ mil nasc.

Alfabetização: 99%.

Moeda: euro.

Site oficial do governo francês: WWW.elysee.fr

Por Eduardo de Freitas
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

URUGUAI

A região era habitada por índios charruas, guaranis e chanaés, até o século XVII. Uma colônia foi criada em Soriano, em 1624 pelos espanhóis. Em 1860 os portugueses estabeleceram a colônia de Sacramento, porém os espanhóis os expulsaram.

Montevidéu foi dominada entre os anos de 1810 e 1814, após uma luta armada liderada pelo militar uruguaio José Gervazio Artigas. Em 1816, tropas portuguesas apoiadas pela Argentina invadiram o país derrotando Artigas. Mas logo em seguida o Uruguai foi ocupado por novas forças, só que desta vez a aliança dos portugueses era com o Brasil.

O território foi anexado às terras brasileiras em 1821, com o nome de província Cisplatina. O Uruguai se torna independente em 1825, e quem a proclamou foi o líder político uruguaio Juan Antonio Lavalleja e com a ajuda de tropas argentinas expulsaram os brasileiros.

Em 1839 e 1851, ocorreu uma guerra civil, ocasionada pela desavença entre liberais e conservadores. Já em 1865 o Uruguai aliado ao Brasil e a Argentina participou da Guerra do Paraguai, onde a Tríplice Aliança saiu-se vitoriosa.

Nas primícias do século XX, os serviços públicos uruguaios foram nacionalizados e criou-se o primeiro sistema de previdência social da América Latina. O cargo de presidente foi substituído por um Conselho de Administração, em 1951.

Somente em 1966 que o presidencialismo voltou a entrar em rigor no país. A crise econômica instaurada no Uruguai estimulou o surgimento do grupo guerrilheiro Tupamaros. Em 1973, uma ditadura foi instalada com o presidente Juan Maria Bordaberry com apoio dos militares.

Somente em 1980 que se deu o surgimento da democracia, com isso em 1984 são realizadas as eleições no país. Na década de 1990 passarmos por uma crise econômica, quando começou a se recuperar, foi afetado com problemas nas economias do Brasil e da Argentina, em 1999.

Em 2001 ocorre uma nova crise, quando a exportação de carne bovina foi prejudicada pela febre aftosa, e em 2002 foi gravemente afetada pela crise na vizinha Argentina.

Por Eliene Percília
Equipe Brasil Escola.com

MÉXICO

O México ou Estados Unidos do México é um país localizado na América do Norte que limita fronteira ao norte, com os Estados Unidos; a leste com o Golfo do México; a oeste, com o oceano Pacífico e ao sul, com a Guatemala e Belize.

O território mexicano abrange uma área de 1 958 201 km2, a qual abriga cerca de 109,6 milhões de pessoas. A capital do país é a cidade do México. A extensão territorial do México é superada somente pelo Brasil e Argentina entre os países da América Latina.

Aspectos naturais

A superfície do território é tomada em grande parte pelo planalto Mexicano. Este último está rodeado de duas montanhas, denominadas de Sierra Madre Ocidental e Sierra Madre Oriental. Mais ao centro do território se encontra o Planalto de Anáhuac, região na qual as altitudes são acima de 2.000 metros e é justamente nessa área que se estabelece a capital do país. Os pontos mais elevados do México localizam-se em um lugar chamado de Popocatépeti, com 5.452 metros de altitude; e Citlaltépeti, com 5.700 metros. Ambos formados a partir de manifestações vulcânicas comuns na região.

A quantidade de rios presentes ao longo do território mexicano é reduzida, resultado da característica do relevo, no caso planalto, além do fato de que grande parte do país possui clima do tipo árido e semi-árido. Dentre os rios existentes, o principal é sem dúvida, o rio Bravo, o qual deságua no Golfo do México na forma de um grande delta.

O país abrange uma diversidade de formação vegetativa, que varia de acordo com a localização geográfica, tipo de relevo e a altitude. A localização geográfica interfere nas formações climáticas, por essa razão no centro-sul do país o clima é o tropical, uma vez que essa área se encontra na zona intertropical da Terra, faixa climática que recebe uma quantidade maior de luz solar.

O relevo é determinante no surgimento de desertos como o de Chihuahua, localizado ao norte do território. Isso porque os conjuntos montanhosos impedem que as massas de ar cheguem até o interior do território. As formações vegetais que mais se destacam são os estepes, arbustos xerófilos, savanas e florestas tropicais.
Por Eduardo de Freitas
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

ÁFRICA DO SUL

A África do Sul é um país independente, está situado no extremo sul do continente africano e é banhado pelos oceanos Atlântico e Índico. O território encontra-se no oriente, ao sul do paralelo do equador (hemisfério sul).

A nação abriga aproximadamente 50 milhões de pessoas, distribuídas em uma área de 1.221.037 km2. A população é composta por negros, que representam 70% da população; brancos descendentes de holandeses e ingleses, que respondem por 12%, euroafricanos, representam 13%; indianos, 3%; e outras etnias, 2%.

O território abriga em seu subsolo uma grande quantidade de minérios, e destaca-se na produção de carvão mineral, manganês, ferro, cobre, platina, diamante, ouro e urânio, riquezas que são fundamentais para o desenvolvimento industrial.

Outro potencial relevante de recursos é quanto à produção de energia elétrica, impulsionada pelo rio Orange. O país não é independente quanto à produção de petróleo.

A economia sul-africana está ligada à prestação de serviços, indústria, além dos setores primários, como o extrativismo mineral e a produção agropecuária. Cidade do Cabo e Johannesburgo são os principais centros urbanos, e conseqüentemente promovem a concentração das indústrias, abrigando empresas que atuam nos setores de produção de veículos, locomotivas, incluindo ainda a metalurgia e a petroquímica.

O setor industrial é bastante diversificado, entretanto, isso não evita problemas como desigualdade social, elevado índice de desemprego, marginalização, entre outros.

Outra fonte de receita de grande importância é a atividade turística desenvolvida na Savana, conhecida como safári, além do turismo urbano, especialmente na Cidade do Cabo.

Aspectos gerais da África do Sul

Nome do país: República da África do Sul.

Línguas oficiais: Inglês, zulu, xhosa, suázi, ndebele, seSotho do sul, seSotho do norte, tsonga, tswana, venda e afrikaans.

Capitais: Pretória / Tshwane (cidade administrativa)
Cidade do Cabo (Legislativa)
Bloemfontein / Mangaung (Judiciário).

IDH (Índice de Desenvolvimento Humano): 0,683 – médio.

BANDEIRAS DOS PAÍSES DA COPA - GRUPO H




BANDEIRAS DOS PAÍSES DA COPA - GRUPO G