Loading...

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Pluft, o fantasminha (fragmento) - Maria Clara Machado

Pluft, o fantasminha - fragmento
(Maria Clara Machado)

1. (Cenário: um sótão. À direita, uma janela dando para fora, de onde se avista o céu. No meio, encostado à parede do fundo, um baú. Uma cadeira de balanço. Cabides onde se vêem, pendurados, velhas roupas e chapéus. Coisas de marinha. Cordas, redes. O retrato velado do Capitão Bonança. À esquerda, a entrada do sótão.
Ao abrir o pano, a Senhora Fantasma faz tricô, balançando-se na cadeira, que range compassadamente. Pluft, o fantasminha, brinca com um barco. Depois larga o barco e pega uma velha boneca de pano. Observa-a por algum tempo.)

2. PLUFT: - Mamãe!

3. MÃE: - O que é, Pluft?

4. PLUFT: (sempre com a boneca de pano) – Mamãe, gente existe?

5. MÃE: - Claro, Pluft, claro que gente existe.

6. PLUFT: - Mamãe, eu tenho tanto medo de gente! (Larga a boneca.)

7. MÃE: - Bobagem, Pluft.

8. PLUFT: - Ontem passou lá embaixo, perto do mar, e eu vi.

9. MÃE: - Viu o quê, Pluft?

10. PLUFT: - Vi gente, mamãe. Só pode ser. Três.

11. MÃE: - E você teve medo?

12. PLUFT: - Muito, mamãe.

13. MÃE: - Você é bobo, Pluft. Gente é que tem medo de fantasma e não fantasma que tem medo de gente.

14. PLUFT: - Mas eu tenho.

15. MÃE: - Se seu pai fosse vivo, Pluft, você apanharia uma surra com esse medo bobo. Qualquer dia desses eu vou te levar ao mundo para vê-los de perto.

16. PLUFT: - Ao mundo, mamãe?!

17. MÃE: - É, ao mundo. Lá embaixo, na cidade...

18. PLUFT: (Muito agitado, vai até a janela. Pausa.) - Não, não, não. Eu não acredito em gente, pronto...

19. MÃE: - Vai sim, e acabará com essas bobagens. São histórias demais que o tio Gerúndio conta para você.

20. PLUFT: (Pluft corre até um canto e apanha um chapéu de almirante.) - Olha, mamãe, olha o que eu descobri! O que é isto?!

21. MÃE: - Isto tio Gerúndio trouxe do mar.

22. (Pluft, fora de cena, continua a descobrir coisas, que vai jogando em cena: panos, roupas, chapéus etc.)

23. PLUFT: - Por que tio Gerúndio não trabalha mais no mar, hem, mamãe?
24. MÃE: - Porque o mar perdeu a graça para ele...

25. PLUFT: (Sempre remexendo, descobre um espartilho de mulher) – E isto, mamãe, (aparecendo) que é isso? Ele trouxe isto também do mar? (Coloca o espartilho na cabeça e passeia em volta da mãe.)

26. MÃE: - Pluft, chega de remexer tanto nas coisas...

27. PLUFT: (larga o espartilho no chão e passeia na cena à procura do que fazer) – Vamos brincar, tá bem? Finge que eu sou gente. (Veste-se de fraque e de cartola.)

28. MÃE: (sem vê-lo) Chega de desordem, meu filho. Você acaba acordando tio Gerúndio. (Ela olha para o baú.)

29. PLUFT: (pé ante pé, chega por detrás da cadeira da mãe e grita) – Uuuuh! (A mãe leva um grande susto e deixa cair as agulhas de tricô.) Eu sabia! Eu sabia que você também tinha medo de gente. Peguei! Peguei! Peguei mamãe com medo de gente... peguei mamãe com medo de gente!

30. MÃE: (procurando de gatinhas os óculos e o tricô) – Pluft, você quer apanhar? Como é que eu posso acabar o meu tricô para os fantasminhas pobres, se você não me deixa trabalhar? (A mãe volta à cadeira bufando e Pluft volta à janela pensativo.)

31. PLUFT: - Eu não iria nem a pau.

32. MÃE: - Onde , Pluft?

33. PLUFT: - Trabalhar no mar. Tenho medo de gente e de mar também. É muito grande e azul demais... (De repente Pluft se assusta.) Oh! (Corre até a mãe, sem voz, e torna à janela.) Mamãe, olha lá. Iiiiiih... Estão vindo! (Corre e senta-se no colo da mãe.) Mamãe, mamãe, acode!! Eles estão vindo... vindo do mar... e subindo a praia.

(Fragmento da peça teatral “Pluft, o fantasminha” de Maria Clara Machado)
(*Obs.: este trecho selecionado teve suas partes numeradas para facilitar a aplicação e resolução de atividades desenvolvidas)

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Por que o frango atravessou a estrada? - autor desconhecido


"Por que o frango atravessou a estrada?" - Autor desconhecido

As várias respostas a essa simples pergunta são aqui expostas segundo a filosofia de cada pessoa. Vamos desde o professor até o mais alto escalão de autoridade brasileira, ou seja, o nosso atual presidente da República. Mas também passamos por Platão, Marx, Nelson Rodrigues, Datena, Caetano Veloso, entre outros.

PROFESSOR: "Porque o frango tencionava chegar ao outro lado da estrada, cumprindo, desta forma, sua trajetória e terminando assim o desfecho desta história, que, por sinal, é contada terceira pessoa, narrador observador..."

CRIANÇA: "Porque sim."

PLATÃO: "Porque buscava alcançar o Bem."

ARISTÓTELES: "É da natureza do frango cruzar a estrada."

MARX: "O atual estágio das forças produtivas exigia uma nova classe de frangos, capazes de cruzar a estrada."

MARTIN LUTHER KING: "Eu tive um sonho. Vi um mundo no qual todos os frangos serão livres para cruzar a estrada sem que sejam questionados seus motivos."

FREUD: "A preocupação com o fato de o frango ter cruzado a estrada é um sintoma de insegurança sexual."

DARWIN: "Ao longo de grandes períodos de tempo, os frangos têm sido selecionadosnaturalmente, de modo que, agora, têm uma predisposição genética a cruzar estradas."

EINSTEIN: "Se o frango cruzou a estrada ou a estrada se moveu sob o frango, depende do ponto de vista. Tudo é relativo."

MACONHEIRO: "Foi uma viagem…"

HELOISA HELENA (Senadora): "A culpa é das elites estelionatárias, caucasianas e aristocráticas que usurpam a população de frangos e mostra a sua capacidade de luta em defesa dos seus direitos."

RENAN CALHEIROS (Senador): "Desafio alguém que possa provar que o frango atravessou a estrada … É mentira… É tudo mentira."

SÉRGIO MORAIS (Senador): "O frango está se lixando para a opinião pública e atravessa a estrada a hora que quiser e quando bem entender."

TASSO JEREISSATI (Senador): 'porque é um "cangaceiro de quinta categoria", "um coronel de merda", péssimo representante de sua espécie!!'

COLLOR (Senador): “Essas palavras sobre o frango eu não aceito. Quero que o senhor as ENGULA e as DIGIRA como julgar conveniente".

ZECA PAGODINHO:
"Porque do outro lado da rua tinha uma Brahma gelada."

CAPITÃO KIRK: "Para ir onde nenhum frango jamais esteve."

NELSON RODRIGUES: "Porque viu sua cunhada, uma galinha sedutora, do outro lado."

FEMINISTAS: "Para humilhar a franga, num gesto exibicionista, tipicamente machista, tentando, além disso, convencê-la de que, enquanto franga, Jamais terá habilidade suficiente para cruzar a estrada."

DATENA: "É uma pouca vergonha… Uma Barbaridade… Põe no ar… Põe no ar aí as imagens do frango atravessando a estrada."

FERNANDO HENRIQUE CARDOSO: "Por que ele atravessou a estrada, não vem ao caso. O importante é que, com o Plano Real, o povo está comendo mais frango."

PAULO MALUF: "Poooooovo de Sããããoooo Paaulo! O meu governo foi o que construiu mais passarelas para frangos. Quando for eleito novamente vou construir galinheiros deste lado para o frango não ter mais que atravessar a estrada."

CAETANO VELOSO: "O frango é amado, é lindo, uma coisa assim telúrica. Ele atravessou, atravessa e atravessará a estrada porque Narciso, filho de Dona Canô, quisera comê-lo…ou não!"

SILVIO SANTOS: "Para ganhar UM MILHÃO DE REAIS! É com você Lombardi! Ah-ai! Ih-i!!"

LULA: Eu não sei de nada! Mas tenho um palpite: talvez ele queria se juntar aos outros mamíferos, pois é brasileiro e não desiste nunca!

O CAVALO E O PORCO - Autor desconhecido

O CAVALO E O PORCO

Um fazendeiro colecionava cavalos e só faltava uma determinada raça. Um dia ele descobriu que o seu vizinho tinha este determinado cavalo. Assim, ele atazanou seu vizinho até conseguir comprá-lo. Um mês depois o cavalo adoeceu e ele chamou o veterinário:

-Bem, seu cavalo está com uma virose, é preciso tomar este medicamento durante três dias. No terceiro dia, eu retornarei e caso ele não esteja melhor, será necessário sacrificá-lo.

Neste momento, o porco escutava toda aconversa. No dia seguinte deram o medicamento e foram embora. O porco se aproximou do cavalo e disse:

-Força amigo! Levanta daí, senão você será sacrificado.

No segundo dia, deram o medicamento e foram embora. O porco se aproximou do cavalo e disse: -Vamos lá amigão, levanta senão você vai morrer ! Vamos lá, eu te ajudo alevantar... Upa!

No terceiro dia deram o medicamento e o veterinário disse:

- Infelizmente, vamos ter que sacrificá-lo amanhã, pois a virose pode contaminar os outros cavalos.

Quando foram embora, o porco se aproximou do cavalo e disse:

-Cara, é agora ou nunca, levanta logo! Coragem! Upa! Upa!

-Isso, devagar! Ótimo, vamos um, dois, três, legal, legal, agora mais depressa vai... Fantástico Corre, corre mais! Upa! Upa! Upa!!! Você venceu, campeão!

Então, de repente o dono chegou, viu o cavalo correndo no campo e gritou:

-Milagre ! O cavalo melhorou. Isso merece uma festa.... "Vamos matar o porco!"


------------------------------------------------------------------

Isso acontece com frequência em qualquer grupo, seja ele família, escola ou, até mesmo, ambiente de trabalho. Nem sempre alguém percebe, quem tem o mérito pelo sucesso. Saber viver sem ser reconhecido é uma arte, afinal quantas vezes fazemos o papel do porco amigo ou quantos já nos levantaram e nem o sabor da gratidão puderam dispor???

Se algum dia alguém lhe disser que seu trabalho não é o de um profissional, lembre-se: AMADORES CONSTRUÍRAM A ARCA DE NOÉ E PROFISSIONAIS, O TITANIC.

Procure ser uma pessoa de valor, em vez de ser uma pessoa de sucesso.


(Autor desconhecido)

Dieta do Jô - Jô Soares

Dieta do Jô

No princípio eram as trevas. Aí Deus criou o couvert. Depois do couvert vieram as entradas, depois das entradas, o pernil. Depois do pernil veio a farofa, a maionese e o feijão tropeiro, além da cerveja, é claro, bem gelada, que não podia faltar. Deus achou tudo aquilo muito bom, mas achava que faltava um doce. Aí apareceu o Quindim, depois do quindim veio o café. O café e um licor. E a conta.
A gordura é a desgraça do mundo moderno.
Vendo que estava engordando, tomei uma coca cola e uma decisão drástica: vou comer menos. E para mostrar que não estava brincando, entrei imediatamente num Mc Donald’s e pedi um Big Mac sem cebola. Começou aí o meu regime. Sim, pois o primeiro passo para quem decide começar uma dieta é, antes de mais nada, escolher entre os milhares de métodos de regimes à disposição. Logo eu que gosto de(quase) tudo… Que como (quase) tudo.. Como até aquele queijo do Mc Donald’s que é feito do mesmo material da caixinha em que vem o sanduíche.
Mas vamos às dietas.Tem a dieta do Amir Klink; onze meses na Antártida. Esta dieta tem um problema: além de emagrecer, causa espinha no rosto e faz cabelos aparecerem nas mãos. Segundo alguns até pode levar à cegueira.
Tem ainda a famosa dieta do Abacaxi, na qual você só pode comer um abacaxi por dia durante uma semana. Na segunda-feira de manhã te dão sete abacaxis mas não dão a faca. É tiro e queda!
O gordo vive eternamente revoltado com a natureza. Por que só a cerveja dá barriga? Por que alface não dá barriga? Por que agrião não dá celulite?
Está tudo errado no mundo, menos o pastel do Álvaro’s.
O primeiro sentimento de quem começa uma dieta é o de revolta. A vida passa a ser igual comida de hospital – não tem graça nenhuma. Dá vontade de acabar com tudo, a começar pelo que tem na geladeira, continuando a fúria devastadora de Gengis Khan até a loja de doces que colocaram na esquina só pra te sacanear.
O emagreando (ou regimando), é um indivíduo macambúzio, triste e cabisbaixo. Para ele nada faz sentido, só uma empadinha. A balança, depois da roleta do ônibus, é a sua maior inimiga.
No geral, todas as dietas seguem o mesmo princípio: nada que é gostoso pode! E o pior são os médicos de dieta querendo convencer você das delícias do chuchu, do sabor da cenoura, que um tomate no lanche substitui um Big Bob e que o chá de camomila relaxa mais que um chopp.
Só quem ganha com os regimes são os médicos de dieta, que devem gastar todo o dinheiro em banquetes monumentais, em porres homéricos nos congressos que eles organizam só pra contar piada, comer de tudo e zombar dos pacientes que eles deixaram suspirando na frente de uma folha de alface. Mas como você não consegue emagrecer, o jeito é ir para um Spa. Alguns indivíduos têm de ser trancados em jaulas para aguentar a rotina do spa. Num spa um irmão esfaqueia o outro por causa de uma bomba de chocolate, o marido estrangula a esposa por um Cream-cracker. Fugitivos destes campos de alimentação, quando conseguem escapar dos cães farejadores de comida, andam quilômetros para buscar refúgio na padaria mais próxima. Quando voltam para casa, vários quilos mais magros, cheios de rugas e cicatrizes, trazem a marca de quem escapou vivo do inferno e mais tarde, nas noites frias de inverno, contam para seus netinhos como pagaram uma fortuna por um Cheese-burguer sem catchup!
Comida pra ser boa tem que fazer mal, dar dor deBarriga: mocotó, feijoada, leitão à pururuca, rabada, xinxim de galinha, vatapá, caruru, bobó, barreado, virado à paulista, Baconzitos, cheesitos, doritos, pizza, batata frita de latinha, Cheeseeggtudoburguer com molho e sem alface, bacalhau à zé do pipo, salame, salchichão e, é claro, o porco como um todo!!!!! Isso sim é que é comida de verdade!
Comida só funciona com culpa. E tem mais: se a gula é um pecado, o inferno deve ser ótimo pra fazer churrasco.
Ninguém no sábado depois do almoço bate na barriga satisfeito e vai puxar um ronco depois de comer uma salada.
Ninguém convida um amigo e diz:“vai sábado lá em casa que vai ter alfaçada”.
É mais fácil perder um amigo se você fizer um convite desses do que os 30 quilos que estão sobrando! (Jô Soares)

Quem cortou o nó górdio? - Jô Soares


Quem cortou o nó górdio?

Um professor de História suíço veio ao Brasil para avaliar o nível do nosso ensino. Assim que chegou, pediu para ser levado a uma das melhores escolas públicas de nossa cidade.
Entrou na sala de aula que abrigava a turma mais preparada e dirigiu-se ao melhor aluno da classe:
- Quem cortou o nó górdio?
- Juro que não fui eu, moço. Nem ninguém aqui da sala. Pode ser alguém do colégio, mas colega meu não foi. Ponho a mão no fogo por eles.
Horrorizado, o suíço contou o ocorrido para a professora:
- Imagine a senhora que eu perguntei àquele jovem quem foi que cortou o nó górdio e ele me respondeu que não foi ele. Garantiu também que não foi nenhum menino que conheça.
A professora retrucou:
- Bom, se ele disse que não foi ele, o senhor pode acreditar. Esse rapaz, além de muito estudioso, é incapaz de uma mentira.
Assombrado, o professor suíço entrou no gabinete da diretora do colégio:
- Francamente, não sei o que se está passando. Perguntei ao melhor aluno da turma mais preparada quem tinha cortado o nó górdio; ele me assegurou que não foi ele nem nenhum dos seus amigos. Contei o episódio para a professora e ela corroborou a versão do aluno!
A diretora, indignada com o fato, adiantou:
- Meu caro senhor, se a professora confirmou, é porque é verdade. Ela conhece muito bem os seus alunos e é uma pessoa da maior idoneidade. Há anos que trabalha no nosso estabelecimento. O jovem em questão tem muito caráter. Se tivesse sido ele, confessaria na hora. Se fosse o Juquinha, um ruivinho sardento, eu nem diria nada, porque ele é muito mentiroso.
Pasmo, o professor de História suíço deixou o educandário e foi procurar o político que o havia convidado para vir ao Brasil. Depois de ouvir atentamente o relato do estrangeiro, ele explicou:
- Meu querido professor, o senhor não está na Suíça. Aqui, o nível de ignorância e despreparo ainda é muito grande. Nós temos de começar tudo praticamente do zero. Está vendo as dificuldades que enfrentamos? Mas não quero que o senhor volte ao seu país levando uma má impressão. Se alguém cortou mesmo esse tal de nó górdio, e dá para consertar, diga logo de quanto foi o prejuízo eu pago do meu próprio bolso.
--------------------------------------------------------
Glossário

GÓRDIO - Rei da Frígia, antiga Ásia Menor.

NÓ GÓRDIO - Nó que é impossível de ser desatado.

CORTAR O NÓ GÓRDIO - Resolver uma grande dificuldade com rapidez e ou violência.

(Segundo a lenda, o nó górdio prendia o timão ao jugo da carreta do rei Górdio, da Frígia e quem o desatasse seria o senhor da Ásia. Alexandre Magno, diante do nó, por volta de 330 A.C., cortou-o com sua espada e invadiu a Ásia.)
(Jô Soares, Revista Veja)

Versões da história da Chapeuzinho Vermelho (autor desconhecido)

Diferentes maneiras de se contar uma história
Chapeuzinho Vermelho se tornou uma garotinha notória e sempre tem aquela fonte de informação que acrescenta, além do estilo, uma informação ali, ou retira uma vírgula de lá.

Jornal Nacional
Boa noite. Uma menina chegou a ser devorada por um lobo na noite de ontem... (William Bonner)
...mas a atuação rápida de um caçador evitou uma tragédia. Boa Noite... (Fátima Bernardes)

Programa da Hebe
Que gracinha, gente. Vocês não vão acreditar, mas essa menina linda aqui foi retirada viva da barriga de um lobo, não é mesmo? (Hebe)

Brasil Urgente!
Onde é que a gente vai parar!!! Cadê as autoridades? Cadê as autoridades?!! A menina ia para a casa da avozinha a pé! Não tem transporte público!! Não tem transporte público não!! Cadê o governo minha gente?!! E ela ainda foi devorada viva! Um lobo, um lobo safado. Põe na tela!! Porque eu falo mesmo, não tenho medo de lobo, não tenho medo de lobo, não. (Datena)

Revista Veja
Chapeuzinho Vermelho, mestra do tráfico
"Lula sabia das intenções do lobo."
"Chapeuzinho Vermelho existe!!"

Revista Cláudia
"Como chegar à casa da vovozinha sem se deixar enganar pelos lobos no caminho."

Revista Nova
"Dez maneiras de levar um lobo à loucura na hora H."

Revista Marie-Claire
Chapeuzinho Vermelho acordando de seu sono de beleza
"Na cama com o lobo e a vovó."

Folha de S. Paulo
Legenda da foto: Chapeuzinho, à direita, aperta a mão de seu salvador.
Na matéria: Box com um zoólogo explicando os hábitos alimentares dos lobos e um imenso infográfico mostrando como Chapeuzinho foi devorada e depois salva pelo lenhador.

Revista Caras
"Chapeuzinho Vermelho e Lobo Mau na intimidade de sua casa de veraneio"
Na banheira de hidromassagem, Chapeuzinho fala a CARAS:
"Até ser devorada, eu não dava valor para muitas coisas da vida. Hoje sou outra pessoa."

Contigo!
"Chapeuzinho Vermelho flagrada no maior amasso com Lobo Mau!!"

Istoé
"Gravações revelam que Chapeuzinho Vermelho foi assessora de político influente."

Youtube
2. 567. 435 vídeos com destaque para "Chapeuzinho Vermelho Death Dance"

Superpop (LucianaGimenez)
"Geeente! Eu tô aqui com a ex-mulher do lenhador e eladiz que ele é alcoólatra, agressivo e que não paga pensão aos filhos há maisde um ano. Abafa o caso!"

Globo Repórter (Chamada do programa)
"Tara? Fetiche? Violência? O que leva alguém a comer,na mesma noite, uma idosa e uma adolescente? O Globo Repórter conversou com psicólogos, antropólogos e com amigos e parentes do Lobo, em busca daresposta. E uma revelação: casos semelhantes acontecem dentro dos próprioslares das vítimas, que silenciam por medo. Hoje, no Globo Repórter."

Discovery Channel
"Vamos determinar se é possível uma pessoa ser engolida viva e sobreviver"

Revista Superinteressante
"Lobo Mau: mito ou verdade"

Jornal do Hipermercado Extra
"Promoção do mês: junte 20 selos mais 19,90 e troque por uma capa vermelha igual a da Chapeuzinho!"

Jornal Notícias Populares
"Lenhador passou o rodo e mandou lobo pedófilo pro saco!"
"Sangue e tragédia na casa da vovó."