Loading...

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

SOBRE POEMAS E PÊSSEGOS

Poemas são como pêssegos
amálgama entre o desejo da noite
e a euforia do dia
amenos - felpudos
lisos - macios
concretos - abstratos
Nem secos, nem suculentos
interlúdio
intermeio
oculto recheio

Pêssegos não se engolem inteiros
saboreiam-se aos pedaços
e se planta o restante
em terreno certeiro

Assim como o pêssego
o poeta planta os seus poemas
em campos alheios
do agora ou do tempo

e com utopia e certeza
acredita
que novos pêssegos virão
esperando quem os encontre
em propícia estação

Se poemas são pêssegos
degusta-os
com razão e emoção

e não se esqueça de guardar
as sementes
entre as raízes de tua mente
e teu coração
Sede um pessegueiro
Sede um poeta
Sede que é nata
Sede que é meta

Entre um poema
um pêssego e um poeta
há muito
mais
que
um
simples


ppp

Autor: Profirmeza

Um comentário: