Loading...

sexta-feira, 15 de julho de 2016

A PROSA DAS CAVEIRAS



A PROSA DAS CAVEIRAS

No velho condomínio São Bento
Meia noite e meia
Duas caveiras proseiam
Sobre assuntos banais, coisas passageiras

Menina, no velório tá uma choradeira
O presunto era bem famoso na gafieira
Vai deixar saudades na noite brejeira
E muita cama fria de viúva e solteira

Azar dos vivos, loteria dos mortos!
Cadáver vistoso, cheio de vermes viscosos
Agora é nosso! Nosso não! Eu vi primeiro!

Vermes não devoram sonhos
Vontades a morte não enclausura
Desejos não têm sepultura

Nenhum comentário:

Postar um comentário